O guia definitivo de recrutamento e seleção: processos e técnicas profissionais

O guia definitivo de recrutamento e seleção: processos e técnicas profissionais

Tópicos vistos nesse conteúdo

Ter uma equipe de alta performance começa com um processo de recrutamento e seleção (R&S) preciso e direcionado. Apesar de parecer uma prática simples e fácil de ser aplicada, em muitos casos, torna-se um gargalo. O motivo? Para alcançar o equilíbrio, é preciso avaliar diferentes variáveis — e isso nem sempre é fácil.

Com o tempo, a contratação mal feita resulta em alta rotatividade, queda de produtividade e problemas na motivação e no engajamento. Em alguns casos, ocorrem conflitos interpessoais, que dificultam ainda mais o alcance de bons resultados.

Para entender melhor essa relação e saber como implementar um processo de R&S adequado à realidade da sua empresa, contamos com a colaboração de Debora Freire Ruiz, analista de recrutamento e seleção na Catho.

A seguir, apresentaremos a importância do recrutamento e seleção, seu impacto no futuro organizacional, os erros a serem evitados e as principais tendências do setor. Achou interessante? Então, continue com a leitura!

O que é recrutamento e seleção?

Recrutamento e seleção é o processo de identificar, atrair, avaliar e contratar os indivíduos mais adequados para as vagas de trabalho. É uma área de gestão de pessoas que se concentra no processo de busca de talentos apropriados para ocupar cargos em determinada corporação.

Logo, esse é um processo que inclui identificação de candidatos, avaliação de suas habilidades e competências e classificação dos melhores profissionais para ocupar certos cargos. Essa etapa também pode incluir entrevistas, processos de testes, avaliação de competências e tomada de decisões de contratação.

Quando essas atividades seguem boas práticas e contam com o auxílio de ferramentas adequadas, é mais fácil encontrar candidatos que têm fit com a vaga, ou seja, cujas expectativas estejam alinhadas à proposta do negócio. Com isso, fica mais tangível alcançar os objetivos estratégicos.

Qual é a diferença entre recrutamento e seleção?

Recrutar e selecionar não são sinônimos, embora os termos estejam relacionados e façam parte do mesmo processo — separados apenas pela ordem em que são executados. Vamos definir um a um para que você jamais volte a confundi-los!

Recrutamento

Recrutar consiste em atrair talentos. Trata-se da primeira fase do processo seletivo. Uma vez que a descrição do cargo foi criada e a vaga aberta, inicia-se a busca do time de R&S pelos melhores candidatos. Cada organização tem seus próprios canais, mas, em geral, são usadas plataformas de recrutamento e seleção para otimizar o tempo ao divulgar a vaga e encontrar os talentos.

O intuito dessa etapa é encontrar o maior número de pessoas com perfil aproximado para ocupar a posição em questão e, assim, fechar a vaga. Contudo, apesar de ser mais frequente quando há vagas a preencher, não é só nesses momentos que o recrutamento acontece. Um RH que trabalha de forma estratégica está sempre de olho no mercado e em busca de novos talentos.

Seleção

Feita a triagem e a abordagem de candidatos, é hora desses profissionais conhecerem o recrutador e, posteriormente, o gestor. Esse encontro permite que as hard skills e soft skills demandadas sejam encontradas pelos responsáveis por essa etapa.

O primeiro momento é muito importante, porque, desde já, competências técnicas e comportamentais passam a ser testadas e comprovadas. A quantidade de fases do processo seletivo varia de empresa para empresa — para algumas, duas ou três é suficiente, mas depende do cargo. Para outras, cinco ou mais podem ser requeridas.

Qual a importância de realizar um bom processo de seleção e recrutamento?

As atividades de recrutamento e seleção integram uma disciplina na área de Recursos Humanos que visa encontrar os candidatos mais adequados às vagas disponíveis na empresa. Para alcançar esse propósito, são utilizadas diferentes dinâmicas, como testes e entrevistas, sempre para analisar as competências técnicas e comportamentais dos candidatos.

Por meio de um processo claro e ajustado, é possível reduzir a rotatividade e contribuir para que os colaboradores estejam alinhados com suas respectivas corporações. Por meio desse tipo de cuidado, é possível reduzir o turnover e melhorar tanto a experiencia da empresa quando de sua equipe. Afinal, escolher a pessoa certa para o cargo implica definir o candidato que fará mais diferença para a organização. Daí vem a importância de investir nesse processo.

Quais os benefícios de contar com um bom processo de recrutamento e seleção?

Existem várias vantagens de implementar um processo de recrutamento eficiente. Além de contribuir para que sua empresa encontre pessoas talentosas e alinhadas com os valores presentes na cultura organizacional, essas etapas também são importantes para reduzir a rotatividade.

Vale destacar que tais cuidados podem contribuir para a redução dos custos de treinamento, para o aumento da produtividade individual e para outros fatores que impactam o desempenho do seu time. Veja, a seguir, quais os demais benefícios que merecem destaque ao realizar um processo de recrutamento e seleção bem pensado em sua instituição.

Mais precisão na contratação de candidatos qualificados

Ao desenvolver um processo de recrutamento e seleção eficiente, seu negócio pode ter certeza de que está recebendo candidatos alinhados às vagas abertas.

Uma das principais etapas inclui classificar os melhores currículos para a posição e garantir que os candidatos sejam avaliados conforme os requisitos necessários para sua respectiva função. Isso significa evitar qualquer preconceito ou julgamento baseado em características pessoais — tais como idade, gênero, raça ou religião.

Além disso, as entrevistas oferecem a chance de ter uma conversa profunda com os candidatos sobre suas experiências e habilidades. Desse modo, você obtém informações mais específicas sobre a experiência do profissional e como ela se encaixa na posição.

Outra etapa importante é a avaliação de competências, que fornece às empresas precisão na contratação de candidatos qualificados. Essas avaliações normalmente envolvem testes de aptidão, habilidades específicas e tarefas práticas que permitem identificar o nível de conhecimento e a capacidade do candidato.

Portanto, um processo de recrutamento e seleção bem executado é fundamental para garantir que as empresas estejam contratando os melhores candidatos disponíveis. Isso significa trazer para o time pessoas engajadas, competentes e que pretendem manter o vínculo com a empresa.

Maior satisfação dos candidatos

Um bom processo de seleção deve ser capaz de definir as exigências do cargo claramente e comunicá-las aos candidatos, evitando confusões, desentendimentos e dúvidas. Além disso, ajuda a reduzir a frustração dos participantes e aumenta a satisfação. Isso é importante para que sua empresa mantenha uma imagem positiva e honesta diante de todos os que estão disputando a vaga.

O ganho de satisfação também está ligado à qualidade das perguntas feitas aos participantes. Elaborar questões relevantes para o cargo em questão ajuda a permitir que os candidatos mostrem o quanto estão qualificados para ele, sendo uma excelente maneira de criar uma experiência positiva.

Por fim, um processo de seleção bem pensado deve oferecer feedback de qualidade, além de manter os candidatos informados sobre o andamento do processo e o que esperar a seguir. Isso traz mais segurança para todos os envolvidos, independentemente de acontecer ou não a contratação.

Ganho de produtividade

Esse é um importante benefício obtido com um processo de recrutamento e seleção eficiente. Ao criar filtros mais rígidos para a classificação dos candidatos, a empresa tem acesso a pessoas realmente qualificadas para a função, ou seja, que não demandam muito tempo ou esforço dos demais membros da equipe para entender as atividades.

A produtividade também ganha quando a empresa consegue atrair talentos que querem contribuir em longo prazo para a empresa. Isso significa encontrar pessoas que realmente desejam se envolver com os projetos e criar uma carreira junto à marca.

Afinal, a troca constante de colaboradores pode prejudicar a produtividade e criar um ciclo infinito de treinamento na empresa. Por isso, vale a pena investir em um processo de seleção mais rígido quando o objetivo for recrutar profissionais com potencial de ficar por muito tempo junto ao time.

Engajamento dos colaboradores

Um bom processo de recrutamento e seleção é essencial para atrair colaboradores motivados e criar um ambiente de trabalho saudável. Isso significa elaborar estratégias que possibilitem criar um time de pessoas com valores, metas e práticas alinhadas.

Desde o primeiro contato, é importante fornecer aos candidatos uma descrição clara, detalhada e precisa do trabalho a ser realizado. Além disso, é interessante demonstrar a existência de um lugar inclusivo, a partir da avaliação dos candidatos de forma justa e imparcial.

Assim, o time de R&S consegue passar a mensagem de um ambiente com menos estresse e mais colaboração. Desse modo, em longo prazo, a empresa consegue melhorar o clima organizacional e criar uma atmosfera favorável ao engajamento e à inovação.

Em um segundo momento, tais ajustes contribuem para criar um sistema positivo de incentivos, capaz de conquistar e engajar ainda mais os membros do seu time.

Maior eficiência no uso de recursos

Ao contratar indivíduos adequados à vaga, a empresa consegue economizar tempo, dinheiro e demais recursos destinados à qualificação dos novos colaboradores.

Pessoas em treinamento exigem orientação e acompanhamento de profissionais experientes. Logo, quando há muitos profissionais para serem treinados, isso pode impactar a rotina dos demais colaboradores e reduzir a produtividade. Tudo isso se traduz em um custo adicional para a empresa, especialmente pelo mau uso dos recursos disponíveis.

Um outro tipo de economia que um bom processo de recrutamento e seleção oferece é o relacionado à melhoria das taxas de retenção de funcionários. Afinal, com uma menor rotatividade, gastos com recrutamentos e treinamentos são poupados.

Quais são os principais tipos de recrutamento e seleção?

Há vários tipos de recrutamento e seleção: o externo, que é aberto ao público; o interno, que considera o potencial dos próprios colaboradores; o misto, que abrange as duas modalidades, atraindo candidatos tanto de dentro como de fora da organização; e o online, que acontece via internet e se popularizou bastante nos últimos anos.

Um não é melhor que o outro. Na verdade, o que vai definir qual deles é o ideal é a seleção ou o cargo em si. Mesmo assim, cada tipo tem vantagens e desvantagens. Conhecê-las é um meio de agilizar a decisão e iniciar a busca do recrutador.

Recrutamento interno

As principais vantagens de recrutar internamente começam pela oportunidade de desenvolver os colaboradores. Uma vez que existe a possibilidade de crescer, os funcionários se sentem mais motivados para demonstrar um bom trabalho. Para a empresa, é vantajoso por ser um processo mais rápido, sendo possível até pular algumas etapas, visto que os candidatos já são conhecidos pelo time de R&S.

Também é mais econômico, principalmente em relação ao tempo dos profissionais que recrutam. Não há gastos com a divulgação das vagas nem com treinamento de novos colaboradores.

Por outro lado, o recrutamento interno restringe as opções de escolha, afinal, são menos candidatos interessados — ou mesmo aptos — para assumir uma nova posição, em comparação ao grande mercado. Fora isso, a companhia perde em não contratar alguém que vem de fora, isto é, uma pessoa que traga ideias e pontos de vista diferentes.

Recrutamento externo

Quando o recrutamento acontece da forma tradicional, a variedade se torna um benefício importante. Um novo funcionário traz uma visão diferente, por ter vindo de outra realidade, e isso pode agregar ao novo trabalho, aperfeiçoando processos e trazendo resultados imediatos. Sem mencionar que torna o capital humano da empresa mais rico, com personalidades e competências múltiplas, impactando positivamente.

Contudo, contratar um novo empregado nem sempre é seguro — por isso, existe o período de experiência. São nesses três primeiros meses que a companhia vai analisar seu potencial e performance, percebendo se há uma identificação com a cultura e se ele está mesmo apto a seguir na posição para a qual foi aprovado.

Da mesma forma, o candidato recém-escolhido precisa avaliar o novo local de trabalho e se pretende crescer nesse ambiente, contribuindo para os resultados e empenhando seu tempo e expertise. Esse match é importante para que ambos saiam ganhando.

Recrutamento misto

O recrutamento misto é um dos meios mais precisos de selecionar um funcionário, pois “cruza” candidatos internos e externos, avaliando entre eles qual a melhor opção para ocupar um cargo. Graças a isso, há uma abrangência maior de público, o que pode ser considerada uma vantagem ou desvantagem, pois demanda mais tempo e organização do time.

A equipe que recruta também deve ser madura e justa para não favorecer quem já está na empresa, pois isso pode influenciar negativamente o processo. O ideal é avaliar os perfis e habilidades dos candidatos. A seleção mista pode não ser uma boa ideia se houver pressa ou urgência para fechar a vaga.

Além disso, é preciso tomar cuidado com os feedbacks negativos dos candidatos internos que não foram aprovados. O time de R&S deve ser transparente, demonstrando empatia e, se necessário ou solicitado, informando sinceramente por que não ocorreu a promoção, oferecendo apoio e suporte para o desenvolvimento do colaborador.

Online

Se, antes, usar plataformas virtuais era uma forma de agilizar o andamento do processo, em 2020 o recrutamento online se tornou o único meio de se abrir ao mercado e recrutar gente nova. Um estudo realizado em 2021 apontou que mais da metade das empresas brasileiras já contratam de maneira 100% digital, ou seja, é mais que uma tendência, é a realidade.

A principal vantagem de recrutar online é sua praticidade, tanto para quem recruta quanto para quem se candidata. “Com a tecnologia, é possível realizar entrevistas, dinâmicas e testes remotamente, além da facilidade na triagem, o que otimiza tempo para a equipe”, explica Debora Freire Ruiz, analista de recrutamento e seleção na Catho.

Assim, o candidato não precisa se deslocar até a organização, o que economiza tempo e dinheiro. Para a empresa, é um filtro mais seguro, aperfeiçoando o processo e aumentando as chances de o novo contratado dar certo.

Mas o método online não é só flores. Vivenciar as fases pela internet limita o contato humano, podendo prejudicar a avaliação e a experiência do candidato e até a qualidade na contratação. Por isso, cabe ao recrutador utilizar ferramentas que minimizem esses prejuízos.

Quais são as melhores técnicas de recrutamento e seleção?

Aplicar as melhores técnicas de recrutamento e seleção garante que os processos sejam mais satisfatórios e ágeis, identificando e contratando profissionais qualificados e produtivos. Se você não conhece as ferramentas abaixo, aproveite a chance de descobrir mais sobre elas e como adaptá-las à realidade da sua empresa.

Banco de currículos

Pensou em uma gaveta velha, com centenas de currículos amarelados e mal catalogados? Felizmente, na atualidade, já se pode contar com plataformas online que arquivem milhares de documentos, esperando a vaga certa para serem consultados e gerar o tão esperado match.

Considerando que a captação de candidatos é uma das fases mais demoradas do processo, ter um banco de currículos à disposição facilita e agiliza o seu trabalho. Só há uma ressalva: é preciso definir uma periodicidade para mantê-lo organizado e atualizado. Assim, quando tiver que consultá-lo, terá a garantia de que as informações ainda são válidas.

Contato com faculdades

Muitas organizações têm programas de estágio e trainee. É essencial ter a preocupação de investir nas novas gerações, dando-lhes oportunidade de mostrar seu potencial. Propondo um convênio com universidades e instituições técnicas, as organizações podem fazer parte disso, viabilizando o contato delas com o time de RH.

Agências de recrutamento

Em geral, o suporte de agências de recrutamento ou de headhunters é feito por companhias de menor porte que não contam com um time de recrutamento ou, para aquelas de maior porte, que têm um grande volume de vagas. Também serve para aquelas que reservam vagas mais estratégicas e específicas para serem realizadas externamente.

De qualquer maneira, o trabalho delas tem um direcionamento relevante, visto que são especializadas nesse tipo de demanda. Sem dúvida, é uma opção a mais para se considerar, inclusive para fazer benchmarking.

“Vale ressaltar que, na hora de aplicar essas técnicas, é fundamental considerar o perfil da vaga e a cultura da empresa. O alinhamento desses fatores é decisivo para um bom resultado”, destacou Debora.

Como recrutamento e seleção impactam o futuro da empresa?

Uma organização precisa sempre pensar no longo prazo. Sem ter essa visão estratégica, seu futuro e crescimento sustentável estarão comprometidos. Nesse cenário, o RH tem papel fundamental justamente por ser responsável pela contratação dos talentos.

Mais que uma área burocrática e com responsabilidades sobre controle de ponto, entrega de holerites e organização da documentação dos colaboradores, o RH tem a função de gestão de pessoas — e a automação garante que esse viés será o foco a partir de agora.

A explicação é bastante simples: com sistemas capazes de calcular e executar de maneira automática os processos administrativos, cabe aos profissionais da área voltarem sua atenção para as pessoas, a fim de descobrir seus talentos e competências.

Aos gestores de RH, também é necessário efetivar uma cultura de colaboração e um ambiente propício para o bom desenvolvimento das atividades. Aos poucos, esse trabalho garante a internalização da cultura organizacional, com o foco na boa performance e na redução dos conflitos existentes.

Como o RH deve se portar para se preparar para esse novo contexto?

Como esse processo ocorre no departamento de RH, é fundamental que seu time saiba se preparar para esse novo contexto. Assim, sua empresa consegue obter os melhores talentos e criar uma equipe de sucesso. Confira algumas dicas essenciais para otimizar esse processo no seu negócio.

Suporte da transformação digital

O RH é apenas uma das áreas impactadas pelas novas tecnologias. Os dados sugerem que a transformação digital pode ajudar de diversas formas os profissionais da área.

Por exemplo, de acordo com uma pesquisa realizada em 2022, 58% dos profissionais de RH acreditam que a Inteligência Artificial tem potencial para melhorar a consistência e qualidade dos dados dos candidatos. Além disso, a mesma pesquisa sugere que o uso da IA para aumentar a produtividade dos colaboradores e para alcançar melhores ideias para o bom andamento da companhia.

Além disso, há uma grande tendência para os próximos anos, a qual visa garantir uma mudança de mentalidade organizacional, que foque a experiência dos clientes interno e externo. Aqui, é trabalhado o employer branding, ou seja, a marca empregadora.

Nesse caso, o objetivo é mostrar que a empresa é um bom lugar para trabalhar. Assim, são atraídos os melhores talentos e a rotatividade de colaboradores é reduzida. Perceba que o propósito é mostrar a autenticidade da companhia, a fim de conquistar o interesse dos melhores candidatos do mercado.

Flexibilidade de trabalho

A remuneração e os benefícios já deixaram de ser os principais atrativos para um colaborador. Apesar de ainda serem importantes, a flexibilidade no ambiente de trabalho é um dos fatores principais para as novas gerações.

Tanto é que uma pesquisa de tendências de RH realizada pela Catho, mostra que o trabalho híbrido e/ou remoto tende a ter investimentos mantidos em 2023, de acordo com 49,77% dos entrevistados. Isso reforça a importância de conciliar a vida pessoal com a vida profissional para uma melhor qualidade de vida e como as empresas estão atentas a tal fator.

Para as empresas, e apesar dos números, essa realidade ainda pode ser desafiadora. A boa notícia é que essa modalidade de trabalho a distância não reduz a produtividade. Além disso, 34,04% dos entrevistados da pesquisa mencionada acima dão destaque para a maior flexibilidade de horários e de ambiente de trabalho.

Home office

Segundo pesquisa, o número de trabalhadores em home office é crescente desde a pandemia, com quase 6 milhões de pessoas exercendo suas atividades nesse modelo de trabalho no final de 2022.

Além disso, outra pesquisa aponta para 33% das empresas adotando esse modelo de trabalho. Porém, trabalhar nesse modelo pode trazer rendimentos em média 10% mais baixos do que é pago para quem opta pelo formato presencial.

Essa pesquisa aponta que mesmo com rendimentos mais baixo, um terço dos brasileiros apontam a preferência pelo modelo de trabalho remoto, apontando diversos fatores para isso, como:

  • é melhor pois não precisa se deslocar para 13,99%;
  • mais tempo para ficar com a família, para 11,76%;
  • há mais liberdade para realizar outras atividades, para 11,76%;
  • é possível conciliar com as atividades domésticas, para 10,39%;
  • oferece mais concentração durante o trabalho, para 9,67%.

Fica claro, portanto, que a flexibilidade é uma estratégia para motivar e engajar pessoas. O RH precisará rever sua posição e encontrar pessoas alinhadas à cultura empresarial. No entanto, se ignorar a necessidade de flexibilizar as estratégias, poderá ter problemas com R&S.

Contratação orientada a dados

A gestão de empresas e de pessoas precisa ser data driven. A mensuração de resultados é a melhor forma de saber o que é preciso melhorar. Afinal, se você desconhece o caminho que deseja percorrer, qualquer um serve.

Fazendo uma analogia, é como se os gestores estivessem cegos sem o apoio dos dados. Eles tomam decisões com base em “achismos”, e não em constatações. Para o negócio, essa situação pode representar até a falência da operação, porque é inviável cometer erros frequentes em um mercado tão competitivo.

Muitos gestores já têm essa percepção, como mostra 2022 Recruiting Trends Report on data and metrics. Com base nessa pesquisa realizada com 500 profissionais de recrutamento e seleção, 87% dos profissionais de talento rastreiam dados para otimizar sua tomada de decisão, sendo que 73% deles disseram que esse tipo de análise é fundamental para a empresa se manter competitiva.

Por isso, o People Analytics é uma tendência a considerar. Esse processo abrange coleta, organização e análise de dados, com o objetivo de compreender as expectativas e o comportamento dos colaboradores. Assim, é possível descobrir vários dados relevantes, como:

  • níveis de absenteísmo e rotatividade;
  • pesquisas de clima organizacional;
  • fatores de desligamento, obtidos em entrevistas.

Ao entender os motivos que levam às demissões, o processo de recrutamento e seleção se torna mais estratégico. É possível trabalhar o que motiva as equipes, usar os dados para tomar decisões relevantes e criar uma cultura organizacional adaptada à necessidade da empresa.

Além do People Analytics, é possível usar o Big Data. Com as informações coletadas e trabalhadas por essa tecnologia, o processo de R&S se torna mais preciso. Por exemplo, ao ter uma vaga aberta, você tem a chance de usar a solução para procurar um candidato com o perfil esperado.

Assim, várias informações do banco de currículos são comparadas e cruzadas para encontrar os candidatos com os perfis mais adequados e que atendem às exigências de competências esperadas.

O que é funil de recrutamento e seleção?

O funil de recrutamento e seleção é uma técnica utilizada para identificar e selecionar candidatos qualificados para um nicho de trabalho específico. É um processo iterativo, que começa com a identificação dos candidatos adequados e termina com a contratação de uma pessoa perfeitamente alinhada com as atribuições do cargo.

Cada etapa do funil possui um conjunto de tarefas que precisam ser concluídas para que o processo tenha um bom andamento. Entre elas, podemos destacar análise de currículos, entrevistas, avaliações de habilidades, testes de aptidão e outras etapas importantes nessa avaliação.

Ao longo do processo, o objetivo é reduzir a lista de candidatos até que apenas o melhor seja contratado, ou seja, o funil deve avançar até o ponto em que restarem apenas as pessoas mais adequadas para sua vaga.

Como se dá o funil de recrutamento e seleção?

O funil de recrutamento é um recurso que a área de marketing já usa há bastante tempo. Nos processos de recrutamento e seleção ele é igualmente útil, principalmente se a empresa demanda agilidade e precisão em suas contratações. Chama-se funil pela visualização de sua estrutura, que permite compreender cada etapa com seus respectivos detalhes.

Ao utilizá-lo é possível saber, por exemplo, quantos candidatos participaram e foram eliminados na fase de análise curricular, bem como quantas estiveram no processo, quantos chegaram à etapa final e foram contratadas. Trata-se de uma metodologia excelente para atualizar os indicadores de recrutamento e seleção.

Como usar o funil de forma estratégica?

Para que ele ajude, de fato, o recrutador e o requisitante da vaga devem alinhar todas as informações relevantes sobre o novo contratado: nível de conhecimento técnico, histórico profissional, habilidades comportamentais etc. É com base nisso que o funil classifica os candidatos, eliminando aqueles que não atendem aos requisitos.

Nem toda seleção funciona da mesma forma. Em um processo de comunicação, por exemplo, é comum que os pré-selecionados conheçam técnicas de escrita ou mesmo design para poder desempenhar as atividades no dia a dia. Assim, de acordo com o progresso, as fases devem ser adaptadas, incluindo testes que sejam compatíveis com as atribuições do cargo.

No final de cada uma, lembre-se de analisar os dados. Um dos intuitos e até vantagens do funil é a visão sistêmica que ele oferece. Olhe para o todo, dando atenção a cada fase. Se notar, por exemplo, que de uma para a outra, houve uma eliminação em massa de candidatos, é sinal de que algo precisa ser aprimorado ou revisto.

Como aplicá-lo?

Agora que você já entende como essa metodologia pode ser útil para atrair bons colaboradores para sua empresa, vale a pena entender como implementá-la na prática. Veja, a seguir, quais são os principais passos.

Atração

A primeira parte do processo começa na atração. No topo do funil é onde se concentra a maior parte dos candidatos, porque, dependendo de quanto o setor de R&S investe nisso, milhares de profissionais são notificados a respeito da oportunidade. É essencial expandir o alcance para que bons talentos caiam nessa rede.

Conversão

Na fase de conversão, ficam as pessoas que tiveram contato com a vaga, porém, não se interessaram o bastante para fazer a aplicação. Isso tem vários motivos: podem não se identificar com a empresa ou com a vaga em si, não estarem aptas a ocupar a posição etc. Por isso, a análise periódica do funil é tão importante, pois ela garante que cada fase seja aperfeiçoada de maneira que a experiência do candidato não fique comprometida.

Convocação

A etapa de convocação é uma das mais fundamentais, pois é nela que o recrutador encontra o candidato pela primeira vez. É nesse momento que as competências comportamentais serão avaliadas — e sabemos quão decisivas elas são para que o candidato avance no processo e seja contratado.

Vale ressaltar que mesmo nos recrutamentos mistos e internos a etapa de convocação precisa ser realizada. Em geral, é nessa hora que as expectativas são alinhadas, tanto da parte da empresa quanto por quem quer ser admitido (ou promovido). Quanto mais o processo se afunila, mais diminuem os selecionados, caminhando para o perfil desejado.

Oferta

Depois dos devidos testes e análises, chega o tão esperado retorno: a oferta. Dependendo da organização, ela pode acontecer em diferentes canais: telefone, e-mail, rede social etc. Algumas corporações aproveitam esse momento para iniciar o onboarding e caprichar na experiência do seu novo colaborador, refletindo desde já a cultura do negócio.

Aceite

Naturalmente, após o contato, fica a critério do profissional se ele aceitará ou não. Cabe citar que todas as vivências com a companhia até essa hora podem influenciar em sua decisão. “O processo de recrutamento e seleção é a porta de entrada. Para que ocorra de forma acertada, é preciso assegurar uma boa experiência, que demonstre o propósito e a identidade da empresa”, reforça Debora.

Contratação

Chegamos à etapa final: a contratação. O fim do processo seletivo é o início de uma nova fase, para o colaborador e a companhia. Aqui, concentram-se as ações burocráticas de formalização, como a entrega de documentos, realização de exames admissionais etc. Os três meses seguintes serão fundamentais para o futuro desse colaborador — e um recrutamento e seleção eficientes contribuem muito para esse resultado.

Roteiro para entrevista de emprego: o passo a passo para você criar o seu

Passo a passo: quais etapas constroem o processo de Recrutamento e Seleção?

Embora os profissionais de R&S estejam habituados à realização desse tipo de atividade, mantê-las em um padrão de organização é proveitoso no dia a dia, ajudando a economizar, principalmente, tempo para se dedicar a ações mais estratégicas para o negócio. Em geral, o processo é construído pelas etapas abaixo.

Levantamento das necessidades

O gestor ou requisitante da vaga deve alinhar todas as necessidades e expectativas em relação ao profissional que será admitido. Ao compilar as informações necessárias, o recrutador vai ter uma base sólida e objetiva de qual perfil precisará selecionar.

Portanto, uma conversa entre os envolvidos é ideal para haver esse debate. Enquanto a pessoa de R&S conhece o andamento do processo e tem uma base do que existe no mercado, o requisitante da vaga tem um espaço em aberto que deve ser preenchido da melhor forma possível.

Prospecção de profissionais

Expectativas e necessidades alinhadas? É hora de resumir as informações mais relevantes e incluí-las no anúncio da vaga a fim de prospectar os melhores talentos. São múltiplos os canais existentes para esse fim. Hoje não há mais desculpa para não encontrar o profissional certo.

Eventualmente vai ser preciso trazê-lo de outra cidade. É comum em posições mais específicas e estratégicas. O importante, caso a empresa possa arcar com uma demanda assim, é garantir que o objetivo do requisitante — e, portanto, do negócio — sejam cumpridos.

Como empresas de tecnologia em recrutamento podem tornar os processos ainda mais eficientes?

Até aqui, falamos várias vezes sobre como a tecnologia é importante para o recrutamento e a seleção de pessoas. Colocar essa prerrogativa em prática, porém, pode ser bastante difícil. Por exemplo: você sabe como encontrar profissionais por região? Ou como fazer uma triagem de currículos eficiente?

É aqui que entram as empresas especializadas. Com ferramentas que trazem agilidade e precisão no processo de contratação, sua companhia encontra os profissionais mais indicados para a vaga. Dentro desse contexto, é importante contar com as seguintes soluções:

  • recrutamento de profissionais por região, com filtros avançados que permitem identificar os currículos mais compatíveis com as vagas;
  • identificação de pessoas com deficiência, a partir de laudos médicos validados e certificados de reabilitação do INSS. Assim, todos os documentos são conferidos antes de o candidato ser chamado para entrevista, o que reduz o tempo e os custos de contratação, assim como ajuda a cumprir a Lei de Cotas;
  • acesso a candidatos já avaliados e testados em Excel, raciocínio lógico, inglês e compreensão de texto, para garantir que o profissional tenha os critérios necessários para a vaga;
  • pesquisa salarial, com identificação da média por cidade, estado e região, além de comparação com empresas concorrentes.

Quais as soft skills e hard skills que um profissional de recrutamento e seleção deve ter?

Parte do sucesso de uma estratégia de recrutamento e seleção se deve aos profissionais que trabalham nessa etapa. Por isso, é importante que sua empresa conte com indivíduos capacitados, experientes e que tenham uma boa capacidade de julgamento. Veja, a seguir, quais habilidades são importantes para exercer bem essa função.

Soft skills

As soft skills são habilidades comportamentais, tais como comunicação, liderança, criatividade, trabalho em equipe e habilidades interpessoais. Por meio delas, é possível entender melhor o perfil dos candidatos, comunicar-se com eles de modo eficaz e desenvolver relacionamentos de longo prazo. Entre as principais, podemos destacar:

  • comunicação eficaz;
  • escuta ativa;
  • liderança;
  • negociação;
  • empatia;
  • comprometimento.

Hard skills

Já as hard skills são as habilidades técnicas necessárias para executar algum trabalho. Estas incluem conhecimentos em tecnologia, habilidades de pesquisa e análise de dados, além de conhecimento sobre as leis trabalhistas, por exemplo. Os profissionais de recrutamento e seleção precisam possuir habilidades de hard skills para fornecer soluções eficazes e encontrar os melhores candidatos para cada posição. Entre elas, destacam-se:

  • experiência em entrevistas;
  • conhecimento de tecnologias de recrutamento;
  • conhecimento de legislação trabalhista;
  • capacidade de análise de currículos;
  • experiência com diferentes processos de seleção;
  • experiência com ferramentas de recrutamento, sites de emprego, plataformas, aplicativos e demais recursos importantes para essa atividade.

Vale investir em um curso de recrutamento e seleção para melhorar suas habilidades e conseguir um desempenho incrível nesse processo.

Quais os principais indicadores de recrutamento e seleção?

Entender os principais indicadores de recrutamento e seleção é essencial para realizar ajustes ao processo e conseguir resultados cada vez melhores. Abaixo, listamos quais são as principais métricas e como podem ser utilizadas. Confira!

Rotatividade

A rotatividade é uma métrica importante para compreender o sucesso dos processos de seleção. Esse indicador mostra o fluxo de entrada e saída dos funcionários e pode ajudar a compreender se as escolhas estão sendo acertadas.

Caso estejam ocorrendo muitos desligamentos e, com isso, muitas contratações, é preciso avaliar os problemas. Eles podem estar ligados a perfil equivocado na hora da escolha, a aspectos referentes ao clima na organização ou a outro ponto. Portanto, caso essa taxa esteja elevada, é preciso ter mais atenção.

Qualidade das contratações

Esse ajuda a entender se as contratações realizadas estão trazendo o retorno esperado para o negócio. Para isso, é preciso estabelecer um prazo para realizar a avaliação e compreender os resultados dos novos colaboradores.

Dessa forma, você consegue ajustar o perfil dos candidatos, caso seja necessário e, com isso, melhorar o processo de seleção até ter uma performance adequada às expectativas. Portanto, vale a pena utilizar tal métrica.

Vagas fechadas no prazo

Conseguir realizar as contratações no prazo estabelecido é fundamental para manter a empresa funcionando bem e, com isso, evitar prejuízos ou dificuldades no cotidiano de trabalho. Nesse sentido, acompanhar o número de vagas fechadas no prazo é uma ótima alternativa.

Para isso, basta ter o total de vagas preenchidas nas datas estabelecidas e o número de vagas anunciadas. Com isso, é só dividir um pelo outro e terá o indicador. Caso esteja muito baixo, é necessário implementar medidas e contar com suporte para agilizar os processos de seleção.

Eficiência dos canais de divulgação

Ter bons canais de divulgação é essencial para conseguir alcançar talentos, fechar as vagas no tempo estabelecido e melhorar o processo seletivo da companhia. Nesse sentido, é preciso acompanhar o desempenho dos meios utilizados pela empresa.

É preciso compreender quais são os principais canais que estão sendo usados. Após isso, você consegue recorrer ao Retorno Sobre Investimento (ROI) para identificar se cada uma das opções usadas está trazendo retornos adequados.

Caso contrário, é necessário buscar alternativas para melhorar o processo de recrutamento e seleção. Uma boa alternativa são as empresas de tecnologia que contam com recursos avançados, como a Catho.

Nível de engajamento dos candidatos

Ter candidatos engajados é importante para conseguir contratar bons profissionais. Por exemplo, imagine que muitas pessoas se desmotivam em seu processo seletivo. Isso vai prejudicar o recrutamento de talentos, fazendo com que a empresa fique para trás da concorrência.

Desse modo, é preciso entender o número de candidatos que iniciam e os que terminam o processo seletivo. Vale avaliar em quais etapas há maior índice de desistência. Dessa forma, fica mais simples compreender o que está errado.

A partir daí, você pode implementar mudanças e continuar acompanhando as desistências de cada uma das fases do processo. Desse modo, é possível implementar melhorias contínuas e tornar todo o processo mais eficiente.

Satisfação dos candidatos

Além de entender o nível de engajamento, é preciso compreender como está a satisfação dos candidatos que participam do processo seletivo. Essa métrica é importante para melhorar a reputação da empresa no mercado de trabalho e, desse modo, ajudar a atrair novos talentos.

Além disso, caso as pessoas fiquem insatisfeitas com o processo, é possível que apresentem queixas em canais de reclamação. Assim, vale acompanhar esses apontamentos e utilizá-los para melhorar a satisfação dos candidatos.

Há algumas boas práticas que ajudam a melhorar esse indicador, como dar retornos para quem não foi selecionado, ter clareza e transparência em cada etapa, solicitar comentários de quem participou e avaliar o que pode ser melhorado.

Custo da contratação

Esse indicador é importante para ajudar na saúde financeira do negócio e evitar gastos excessivos, buscando alternativas que tenham um custo-benefício melhor. Nesse sentido, é preciso entender o quanto está sendo gasto no total para cada vaga preenchida.

Desse modo, consegue-se entender se o valor está adequado e dentro das expectativas ou se há opções para reduzir tais despesas. Além disso, é importante acompanhar tendências e soluções que auxiliem na melhora financeira do processo.

Para usar essa métrica, é preciso ter informações sobre investimentos realizados, uso de tecnologias, divulgação das vagas, aplicação das entrevistas e dinâmicas e outros gastos que possam acontecer. Além disso, também é necessário ter o número de vagas preenchidas. Assim, basta dividir o primeiro pelo segundo para ter o custo médio.

Diversidade

Criar um grupo diverso é essencial para ter mais perspectivas na sua empresa. Por isso, vale a pena estabelecer um meio de mensurar a diversidade, tal como gênero, situação econômica, idade, pessoas com deficiência, entre outras características relevantes.

Nesse quesito, sua corporação consegue identificar qual porcentagem do quadro de funcionários pertence a cada grupo.

Essa medida também é importante para identificar se as políticas da empresa estão conseguindo atrair pessoas com esse perfil. Desde o início de sua análise, é importante considerar a diversidade como um elemento importante para que os candidatos possam avançar no funil de contratação.

Quais erros devem ser evitados na estruturação de recrutamento e seleção?

A busca por candidatos precisa ser direcionada para atingir os perfis esperados e ter mais chance de encontrar o profissional com o melhor fit. Para isso, é preciso mais que uma pesquisa salarial a fim de saber a média de remuneração esperada pelos trabalhadores de determinada área.

Na verdade, é necessário executar um processo bem estruturado, que considere critérios técnicos e até comportamentais. Desse modo, a chance de encontrar um talento realmente adequado ao cargo é maior.

Ao fazer esse trabalho, muitos erros podem ser cometidos. Para ajudar nisso, a seguir, listamos as principais falhas cometidas em recrutamento e seleção. Confira!

Esquecer-se de mapear o perfil comportamental

O diagnóstico de perfil aponta os critérios positivos e negativos dos candidatos. Descubra o que os motiva, quais são suas limitações, o estilo de relação interpessoal preferida e os pontos fortes.

Ao verificar todos esses quesitos, a chance de acertar na escolha do candidato é maior. Você ainda tem uma ideia mais clara de como ele agiria perante a execução do seu trabalho.

Deixar de dar feedback aos candidatos

O retorno é imprescindível para a melhoria das pessoas e é uma forma de fazer o candidato se preparar melhor para uma próxima oportunidade. Por isso, sempre sinalize se ele passou ou não para a próxima etapa e por que falhou. Isso pode ser feito por e-mail, SMS ou ligação telefônica.

Perceba que, mais que uma atitude positiva para o candidato, o feedback também contribui para o employer branding. Você mostra que a empresa está preocupada com sua imagem e que, no futuro, o candidato pode ter o perfil esperado.

Ter um banco de talentos com pouca qualificação

O banco de currículos precisa trazer informações relevantes. Ter apenas informações pessoais, experiência e formação dos candidatos é, muitas vezes, insuficiente para fazer a escolha. Por isso, é importante contar com um processo estruturado, capaz de mapear perfis e fazer o cruzamento das informações.

Procure usar um banco de talentos eficiente e com vários recursos, como a possibilidade de utilizar filtros para definir as características esperadas dos candidatos. Atente-se, ainda, à descrição da vaga. É importante ter sinceridade e colocar todas as características exigidas.

Não fazer uma boa descrição da vaga

É preciso ter informações relevantes sobre a vaga para conseguir realizar uma boa seleção. Nesse sentido, é necessário:

  • apresentar clareza nas informações;
  • ter um título atrativo;
  • descrever as principais atividades;
  • definir as atribuições e as responsabilidades;
  • divulgar as vagas de forma adequada.

Uma vaga pode ser excelente e oferecer um bom salário, assim como a empresa pode ser um ótimo lugar para trabalhar. Ainda assim, se você fizer a divulgação incorretamente, terá problemas em atrair os talentos certos. Em outras palavras, seu processo de recrutamento e seleção falha.

Ignorar os testes de triagem

Os candidatos devem passar por uma triagem eficiente e inteligente para descobrir aqueles que são os mais adequados. É possível aplicar vários testes para fazer esse processo, mas os principais são o técnico, o comportamental e o de fit cultural.

Aqui, você pode definir as características esperadas para ter acesso aos candidatos mais adequados, segundo as delimitações. Para complementar, usar um serviço que aplique testes de triagem — como de Excel e inglês — é uma boa forma de evitar a perda de tempo.

Ter uma cultura organizacional indefinida

A falta de clareza da empresa sobre os aspectos que compõem sua cultura impacta o modo como outras pessoas observam o negócio. Portanto, afeta o interesse de potenciais colaboradores.

Ter clareza de qual é a cultura organizacional ajuda a alinhar as expectativas dos potenciais candidatos com o perfil da empresa, apoiando a seleção daqueles com maior fit. Isso certamente levará ao aumento do engajamento dos profissionais e redução do turnover.

Obter relatórios de forma manual

A tecnologia precisa gerar informações automatizadas, que contribuam com a precisão na escolha dos candidatos. Uma dessas atividades é a geração de relatórios, que devem fornecer as informações necessárias e apontar os pontos fortes e fracos do processo de recrutamento e seleção. Dessa maneira, é possível melhorar ainda mais e se atentar aos erros, para que sejam corrigidos.

Simultaneamente, os relatórios servem para tornar o RH mais estratégico. Ao visualizar os números, analise-os para tomar decisões acertadas e baseadas na cultura data driven. Essa é uma forma de eliminar riscos e erros na atração de talentos.

Quais são as principais tendências de RH para 2023?

O movimento que começou em anos recentes é reforçado em 2023: um recrutamento inteligente, cada vez mais digital e híbrido. Mas não para por aí. Este ano, veremos as empresas se movimentando para melhorar o bem-estar do colaborador, que ainda está fragilizado após os meses intensos de isolamento social.

Segurança e bem-estar do colaborador

Depois de tanto tempo em casa, o comportamento humano mudou. Para as empresas, isso reforçou a necessidade de investir em iniciativas que zelem e cuidem da saúde mental de seus colaboradores. Apoiar programas de qualidade de vida, que valorizem a saúde física (e, por consequência, a psicológica) também está se popularizando nos ambientes organizacionais.

Formação de líderes

Uma má gestão continua sendo uma das principais razões que motiva um desligamento. Por essa razão, as organizações têm se mostrado mais preocupadas e empenhadas em mudar essa realidade. Isso exige capacitação técnica e comportamental, e não depende apenas do RH. A própria equipe pode contribuir para esse fim.

Cultura organizacional

A cultura fala muito sobre o negócio e é essencial para o processo de recrutamento e seleção, afinal, mesmo os novos admitidos precisam demonstrar valores parecidos com os da organização onde estão ingressando. É inegável que ela acompanha também as tendências do próprio mercado e da sociedade, sofrendo mudanças significativas com o passar do tempo.

Programas de avaliação de desempenho

Essencial para a formação de bons líderes, são os programas de avaliação de desempenho. As próprias organizações estão reconhecendo seu valor, pela necessidade que há em desenvolver as hard e soft skills. Inclusive, as mais valorizadas este ano são: proatividade, trabalho em equipe, criatividade, resolução de problemas e relacionamento interpessoal.

Experiência do colaborador

O engajamento e a motivação de um time são ingredientes indispensáveis para um resultado satisfatório. Então, investir em projetos que aprimorem a experiência dessas pessoas, fazendo-as se sentir satisfeitas e confortáveis em seu ambiente de trabalho é importante para atrair e reter quem faz parte da casa.

Uso de inteligência artificial

A tecnologia vem ganhando força e tem tudo para ajudar o departamento de RH. Nesse sentido, é possível utilizar a inteligência artificial para fazer a seleção de currículos de maneira otimizada. Dessa forma, consegue-se reduzir o tempo para selecionar os profissionais adequados para as vagas.

Testes digitais

Outra tendência para 2023 que pode ajudar a dar dinamismo ao processo de recrutamento e seleção na empresa são os testes online. Eles podem incluir diversas questões sobre as atividades e as habilidades importantes para fazer a seleção adequada dos profissionais.

Uso de plataformas

Utilizar plataformas especializadas em recrutamento e seleção para contar com os diferenciais delas também é uma tendência. Assim, não aproveitar tal recurso pode fazer com que a empresa fique para trás e perca talentos para a concorrência.

Como estruturar um processo de recrutamento e seleção de excelência?

Estruturar um bom processo de recrutamento e seleção de pessoas vai ajudar a alcançar os melhores talentos no mercado de trabalho. Vale usar um fluxograma de recrutamento e seleção visando organizar tudo. Com isso, torna-se possível se diferenciar da concorrência e alcançar resultados incríveis. Abaixo, destacamos várias dicas de como elaborar o da sua empresa. Confira!

Estabeleça o perfil da vaga

Entender quais são as características da vaga disponibilizada é essencial para entender qual é o perfil do profissional que vai ocupá-la. Nesse sentido, pode ser interessante ter bem definidos os cargos da empresa e as aptidões necessárias para efetuar o trabalho.

Por exemplo, estipule qual é o nível de qualificação exigido, a necessidade ou não de experiências anteriores, quais são as competências comportamentais relevantes para exercer a função e outros aspectos que você julgue necessários.

Com isso, fica mais simples entender o perfil adequado para acertar na hora de recrutar novos colaboradores. Dessa forma, você terá um bom direcionamento na hora de realizar os processos, encontrando pessoas que realmente possam preencher a vaga com o padrão adequado para ela.

Faça um planejamento

Após entender quais são os principais aspectos necessários para preencher as vagas disponíveis, é hora de realizar o planejamento do processo de recrutamento e seleção. Essa etapa vai ajudar a obter um maior nível de organização, agilizando os processos e garantindo acertos na hora de selecionar novos colaboradores.

Nessa etapa você pode pensar em possíveis ferramentas que vão ajudar, mapear se não existem na empresa colaboradores que possam suprir a vaga, entender quais são as potenciais parcerias, as diferentes dinâmicas do processo e outros fatores que sejam relevantes.

Faça um mapeamento

Uma boa dica é fazer um mapeamento de potenciais profissionais que podem preencher a vaga da empresa. Por exemplo, é possível utilizar plataformas destinadas a essa tarefa para identificar pessoas que apresentem o perfil que a sua empresa está procurando.

Assim, consegue-se ter uma listagem com diferentes trabalhadores aptos para assumir a função que está em aberto na empresa. Além disso, tal etapa pode ajudar a encontrar pessoas talentosas que vão contribuir para o sucesso do negócio.

Após realizar o mapeamento e ter uma lista com vários candidatos, basta encaminhar um comunicado para que eles participem do processo seletivo. Com isso, têm-se excelentes profissionais dispostos a disputar a vaga, pois a maioria tende a aceitar o convite.

Estabeleça outras fontes de recrutamento

Além de utilizar o mapeamento de candidatos, é possível contar com outras fontes para encontrar o candidato ideal para a vaga disponibilizada na empresa. Por exemplo, é possível pedir indicações para os colaboradores que já fazem parte do negócio.

Além disso, também pode-se utilizar sites de emprego, lista de currículos presentes no seu banco de dados, parcerias com empresas especializadas nesse tipo de processo e também contato com instituições de ensino que ajudem na busca por profissionais qualificados.

Receba as candidaturas

Caso tenha optado por disponibilizar as vagas em sites ou banco de dados, o próximo passo é receber as candidaturas. Nesse sentido, é preciso que você tenha descrições detalhadas para evitar profissionais que não atendem às suas demandas.

Como dito anteriormente, usar uma plataforma com recursos tecnológicos que auxiliem na triagem de candidatos, como a Catho, pode ser uma ótima saída. Dessa forma, você poupa tempo e consegue passar para a próxima etapa de maneira mais ágil.

Tenha um bom processo de entrevista

Com a triagem de candidatos realizada, é hora de passar para a próxima fase: as entrevistas. Nesse sentido, é importante fazer uma boa preparação com a intenção de coletar informações relevantes para selecionar o profissional mais adequado.

Além disso, é preciso definir o formato das entrevistas, que podem ser grupais ou individuais. Ainda, é necessário se ater a alguns detalhes para evitar equívocos na hora de selecionar um candidato.

Por exemplo, é nessa etapa que você compreenderá se as informações destacadas pelos profissionais são realmente verdadeiras. Para isso, vale ter perguntas preestabelecidas, elaborar questões com relação à função, entender pretensão salarial e avaliar o desejo do candidato em crescer na empresa.

Faça testes

Existem cargos que permitem a realização de testes para avaliar se os candidatos são realmente aptos para desenvolver as funções da vaga. Assim, você consegue entender se os profissionais contam com as habilidades e conhecimentos específicos para o bom desempenho.

Além disso, pode-se realizar dinâmicas simulando situações corriqueiras do cotidiano do trabalho. Desse modo, é possível perceber como cada um se sairia em casos difíceis e ocorrências comuns do cargo.

Verifique referências

É comum empresas pedirem referências aos profissionais para entender mais sobre o comportamento deles no ambiente de trabalho. Nesse sentido, é possível consultar os contatos informados, como ex-empregadores, professores ou outras pessoas que possam oferecer dados relevantes.

Além disso, vale verificar as redes sociais para entender sobre o candidato e ter uma boa noção antes de realizar a contratação. Dessa forma, você consegue ter uma boa visão do perfil comportamental da pessoa.

Tenha uma boa imagem no mercado de trabalho

A reputação da sua marca pode ser importante para atrair profissionais talentosos para a empresa. Essa parte é relevante e deve ser usada como fonte estratégica para melhorar o seu processo seletivo.

Nesse sentido, é válido investir em ações de endomarketing para fortalecer a imagem da empresa, disponibilizar conteúdos relacionados aos trabalhos desenvolvidos pela marca e também ter em mente os valores, missão e cultura da empresa.

Estabeleça métricas

Como você viu anteriormente, existem vários indicadores de recrutamento e seleção que podem ser usados para melhorar esse processo tão importante para o sucesso do negócio. Nesse sentido, eles podem ajudar de diversas maneiras.

Por exemplo, por meio do acompanhamento dessas métricas, é possível fazer ajustes que tornem todo o processo ainda mais eficiente. Além disso, também se consegue investir em novas soluções e desenvolver estratégias para garantir a atração de talentos.

Tenha uma boa comunicação

Ter uma comunicação adequada com os candidatos vai melhorar a imagem da empresa no mercado de trabalho e, com isso, aumentar as chances de conseguir alcançar profissionais de qualidade para ocupar os cargos da empresa.

Nesse sentido, adote bons meios de comunicação para informar o selecionado, usando uma linguagem humanizada e próxima. Além disso, faça o mesmo para os que não foram escolhidos. Ofereça feedbacks construtivos para ajudá-los a conquistar sucesso nos próximos processos.

Faça parcerias

Contar com especialistas em recrutamento e seleção é um passo importante para conseguir realizar processos cada vez melhores. Nesse sentido, busque por instituições reconhecidas no mercado e que ofereçam boas soluções.

Esse é o caso da Catho, que conta com diversas tecnologias e serviços que podem auxiliar o negócio a melhorar o processo de recrutamento e seleção. Quer saber como? Então, continue com a leitura que explicamos para você!

Como a Catho pode ajudar no processo de recrutamento e seleção?

Contar com boas empresas de recrutamento e seleção é uma excelente maneira de ter destaque no negócio. Nesse sentido, ter “um processo acertado não é positivo apenas para o negócio — também é relevante para o desenvolvimento da carreira de qualquer candidato”, explica Debora.

Foi com essa mentalidade que a Catho desenvolveu soluções de recrutamento e seleção voltadas para melhorar essa experiência em todos os sentidos. Saiba mais!

Triagem Inteligente

Entre os diversos planos que a Catho disponibiliza para que sua emrpesa encontre os melhores canditados, é possível contar com um recurso de triagem inteligente, desenvolvido para o envio automático de recomendações de pessoas que cumprem os requisitos exigidos para suas vagas.

Banco com oportunidades específicas

A Catho também apoia a empregabilidade de pessoas com deficiência. Nesse sentido, há um plano específico para essas oportunidades, com mais de 32 mil candidatos e seus respectivos laudos validados.

Possibilidade de entender salários aplicados no mercado

Outra solução da Catho é a possibilidade de entender como o mercado de trabalho está se comportando. Nesse sentido, nossos planos permitem, ainda, a realização de pesquisas salariais para identificar qual o valor adequado para cada vaga. Vai criar uma oportunidade e deseja saber quanto oferecer? A Catho pode ajudar!

Teste de habilidades

Para finalizar, nosso suporte abrange apoio à recolocação para os colaboradores desligados e ferramentas precisas para testar habilidades de candidatos. Assim, fica mais simples encontrar os melhores profissionais para cada função da empresa.

Entender como fazer o recrutamento e seleção de maneira otimizada é a melhor oportunidade de melhorar os resultados de qualquer empresa. Sabemos que o capital humano é uma das partes mais valiosas de uma organização, e investir para atrair e reter os melhores talentos é uma forma eficaz de investir no sucesso do negócio.

Quer saber quais são as principais novidades para a gestão de recursos humanos? Então baixe nosso e-book gratuito e confira nossa Pesquisa de Tendências de RH 2023!

Na Catho você acelera. Economize seu tempo e encontre o profissional que você procura.

Seja o primeiro a comentar em “O guia definitivo de recrutamento e seleção: processos e técnicas profissionais

Fale o que você pensa!

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Desenvolvido por: Bulki e WPTotal