Hard skills vs soft skills: quais as diferenças?

Hard skills vs soft skills: quais as diferenças?

Tanto na hora de avaliar o currículo de candidatos quanto durante entrevistas e dinâmicas de seleção, o RH está atento a dois pontos cruciais: as hard e soft skills.

Isso porque um profissional com potencial de se tornar um talento dentro da empresa não é apenas aquele que tem anos de mercado, com passagem por diferentes organizações ou repleto de experiências. É o que mescla essas competências no exercício da profissão, impactando positivamente a equipe na qual está inserido, ressignificando as tarefas que assume e alcançando resultados acima da média.

Foi com isso em mente que preparamos este post para mostrar o que, de fato, são hard e soft skills, qual a diferença entre elas, quais as mais procuradas e muito mais. Boa leitura!

O que são hard skills?

As hard skills representam as competências profissionais. Ou seja, o que o trabalhador necessita ter para atender às expectativas da empresa, cumprir adequadamente as tarefas gerais e específicas do cargo que tem e acompanhar as demandas e tendências do setor.

São aquelas habilidades que vão ajudar o indivíduo não só a entrar no mercado, mas, principalmente, a se manter ativo nele e a crescer ao longo da carreira. Por essa razão, elas precisam ser aperfeiçoadas e atualizadas continuamente.

Lembrando que esse processo não ocorre de forma individual e avulsa, mas, por meio do estudo, do treinamento, do contato com novas tecnologias e da troca experiência com outros profissionais.

O que são soft skills?

As soft skills, por sua vez, representam habilidades de cunho social e comportamental. São características que as pessoas têm e exercem tanto na vida pessoal quanto na profissional.

Durante muitas décadas, elas foram deixadas em segundo plano no meio corporativo, pois as organizações consideravam que as hard skills eram as únicas competências que deveriam ser levadas em conta na hora de contratar novos talentos.

Contudo, com o avanço da área de gestão de recursos humanos, esse panorama mudou. Isso porque se entendeu que os aspectos sociocomportamentais influenciam na produtividade, proatividade, comunicação e capacidade de crescimento das equipes.

Portanto, não dá para ignorar esses aspectos. Investir em profissionais que detêm diferentes soft skills significa montar quadros de colaboradores mais eficientes e capazes de trazer um retorno maior para as empresas.

Quais são as hard skills mais procuradas no mercado?

Nós já falamos sobre o que são as hard e soft skills. Agora é hora de começar a se aprofundar em quais são elas, por que são tão importantes e como é possível obtê-las.

Para tanto, vamos começar com o primeiro grupo, que podemos dividir em quatro categorias. Veja abaixo exemplos de hard e soft skills!

Formação acadêmica

A formação acadêmica diz respeito à área de atuação na qual a pessoa se capacitou para poder atuar reconhecidamente, conforme os órgãos de cada categoria profissional. É o caso de Conselhos, Associações e Representantes de Classe.

A formação acadêmica é algo que requer entre dois a seis anos de dedicação a um bacharelado, licenciatura ou tecnólogo — cursos esses que envolvem aulas teóricas, práticas ou experimentais em faculdades, centro universitários ou universidades.

Posterior à graduação, há a pós-graduação. Nela, você segue se qualificando dentro do ramo, porém adquirindo conhecimentos específicos sobre uma determinada atividade.

Formação complementar

A formação complementar também está relacionada à área de atuação escolhida pela pessoa. A diferença é que ela não é um pré-requisito para exercer a profissão como é a graduação. Na verdade, são cursos livres que rendem um aprendizado extra que o ajuda a se aprofundar, se atualizar e se preparar melhor para os desafios do mercado de trabalho.

Aptidões técnico-científicas

Por sua vez, as aptidões técnico-científicas têm a ver com a sua capacidade de realizar tarefas do trabalho, assim como a facilidade e o nível de adaptação a elas (por mais complexas que sejam).

Por exemplo: operar maquinário, fazer levantamento de estoque de produtos, organizar laboratórios, gerir projetos e verbas, montar quadros de indicadores de performance (dashboards), realizar pesquisas, montar apresentações empresariais etc. Geralmente elas são aprendidas em voluntariados, estágios, trainees e empregos anteriores ao cargo disputado.

Certificações de conhecimento multidisciplinar

Por último, as certificações de conhecimento multidisciplinar dizem respeito àquilo que você sabe e que serão úteis para o exercício da sua profissão. São coisas aprendidas em cursos, treinamentos, oficinas, eventos e afins. É o caso de:

  • proficiência em um idioma estrangeiro;
  • gestão de sites e redes sociais;
  • edição de imagens, áudios e vídeos;
  • editoração de material institucional online e offline;
  • domínio de softwares;
  • configuração de rede.

Quais são as soft skills mais procuradas no mercado?

Dando continuidade à diferenciação entre hard e soft skills, agora você vai entender quais são as habilidades do segundo grupo — que são aprendidas e trabalhadas diariamente por meio das relações e interações pessoais — competências estas que, atualmente, são as mais importantes para o meio corporativo segundo a Pesquisa de Tendências. Tome nota de quais são elas e como cada uma impacta os colaboradores no exercício da profissão.

Liderança

A liderança é uma das mais buscadas soft skills — o que não é à toa. Basta ter em mente que, independentemente do departamento em que o colaborador é alocado, sempre haverá uma hierarquia interna. Portanto, é comum haver situações em que ele vai comandar outras pessoas, distribuir tarefas, dar feedbacks, assumir a frente dos serviços prestados etc.

Motivação

A motivação reflete não só o próprio potencial para se manter engajado com as atribuições do trabalho, mas também o efeito que o profissional tem entre os colegas, estimulando-os a terem, da mesma forma, uma postura positiva quanto à rotina laboral.

Negociação

Além da liderança e da motivação, há outra soft skill que precisa ser mencionada aqui: a negociação. Isso porque, seja ao lidar com clientes, seja ao lidar com fornecedores, o profissional terá que conciliar os interesses da empresa e da outra parte, fazer acordos, prospectar novas soluções etc.

Glossário do RH: entenda o vocabulário completo dos Recursos Humanos

Gestão de tempo

A gestão de tempo não deixa dúvidas: é a habilidade do colaborador de ajustar e organizar as diferentes atividades da rotina de trabalho, como reuniões, entregas de materiais, contato com parceiros, atualizações nos bancos de dados e afins.

Tudo isso, é claro, sem deixar que as tarefas atrasem, se acumulem ou, ainda pior, se sobreponham a outra —  o que pode comprometer diretamente a eficiência do profissional.

Flexibilidade

A flexibilidade também é uma competência bastante valorizada atualmente. Afinal de contas, não são poucas as organizações que passam por mudanças consecutivas na estrutura, gestão e atuações internas.

Ou seja, situações que requerem dos profissionais uma capacidade grande de se adaptar a novos cenários e, em especial, de acompanhar a nova cultura organizacional.

Foco

Outra habilidade importante é o foco. Ou seja, a capacidade de, diante de múltiplas tarefas diárias, saber trabalhar com prioridades e prazos. Sem isso, o profissional entrará em um ciclo vicioso de atrasos, baixo comprometimento com os afazeres e produtividade aquém das metas estabelecidas para o setor — o que, inclusive, prejudica os colegas.

Cooperação

A cooperação trata do quanto o profissional está disposto a auxiliar os colegas e também a receber ajuda dos demais. Isso sem mencionar, é claro, a questão das atividades que são obrigatoriamente desenvolvidas em conjunto com a equipe do setor.

Indivíduos aptos a serem participativos e a contribuírem com o coletivo são de grande valor para a empresa.

Ambição

A ambição é uma habilidade que trata do interesse do colaborador em crescer profissionalmente, se qualificando mais e se tornando responsável por resultados importantes dentro da empresa.

Afinal, um indivíduo que busca novas conquistas e alcança o sucesso, é o tipo de funcionário com o qual a organização quer construir um plano de carreira, retendo, assim, esse talento.

Inovação

A inovação diz respeito às ações do trabalhador que reúnem criatividade, dinamismo e atenção às tendências do mercado não só no cumprimento de tarefas, mas também na solução de problemas e na proposta de novas estratégias que otimizem as funções do setor.

Resolução de conflitos

A resolução de conflitos, como já fica claro pelo nome, é a habilidade de mediar e, acima de tudo, de sanar situações de estresse, pressão, má comunicação ou mesmo desavenças abertas entre profissionais da companhia. Um aspecto de suma importância para a manutenção de um bom clima organizacional.

Como analisar hard e soft skills no currículo?

O currículo é o primeiro meio de contato da empresa com o candidato. É por ele que o RH tem uma dimensão de quem é a pessoa e qual o histórico de atuação e formação dela — isto é, aspectos relacionados com as hard skills. Portanto, podemos dizer que os CVs, em geral, já trazem automaticamente parte da informação que você busca.

Porém, o mesmo não acontece com as soft skills, que são questões mais subjetivas. Elas costumam ser abordadas apenas em modelos mais modernos de currículos que trazem seções extras que apresentam as habilidades do indivíduo.

Por isso, neste tópico, vamos conversar sobre como você pode analisar esses dois pontos diante de diferentes formas de se construir esse documento. Veja!

Avaliando hard skills no currículo

Para avaliar as hard skills dos currículos, monte uma lista das competências que a empresa busca, colocando-as em ordem de prioridade. Por exemplo, para o cargo de arquiteto e urbanista, é levado em consideração:

  • graduação em Arquitetura e Urbanismo;
  • especialização em Gestão de Projetos em Arquitetura;
  • domínio de plataformas como AutoCAD e SketchUp;
  • fluência em língua inglesa;
  • domínio do pacote Office.

Com essa lista em mãos, fica mais fácil filtrar os candidatos entre aqueles que atendem os requisitos e os que não, movendo para a próxima fase da seleção apenas o primeiro grupo. Para facilitar essa filtragem, o RH também pode optar pelo uso da inteligência artificial. Além de otimizar o tempo desse processo, isso ajuda a facilitar o trabalho do RH quando a vaga recebe muitas inscrições, trabalhando com mais assertividade.

Avaliando soft skills no currículo

Se você quer conhecer de antemão as soft skills dos candidatos, você tem duas opções. A primeira é solicitar, no material de divulgação da vaga, que os interessados nela complementem o próprio CV com as habilidades pessoais que têm.

Já a segunda é solicitar um "vídeo de apresentação" ao candidato, com um breve roteiro pré-definido, com base no que você deseja saber dele. Por exemplo: solicite que o candidato grave um vídeo, de até 2 minutos, contando sobre um case de sucesso e quais foram os papéis dele para que alcançasse os objetivos; qual foi o maior desafio que ele enfrentou na carreira; ou simplesmente contando como é um dia-a-dia perfeito na empresa na visão dele.

A partir daí há como refinar os candidatos conforme as soft skills que a empresa mais valoriza ou deseja no momento — similar à dica que demos no tópico anterior.

Como escolher o profissional ideal com base nas competências?

Para escolher o profissional com as hard e soft skills certas é importante que o RH esteja alinhado com o departamento que tem a vaga disponível. É preciso que seja repassado ao gestor da área qual o perfil de colaborador buscado e, em especial, quais as competências que tanto ele quanto a equipe demandam no momento.

A partir daí, é possível montar as estratégias de recrutamento e planejar como será as etapas da seleção, para que mais candidatos adequados ao cargo sejam selecionados e avaliados.

Como você leu, hard e soft skills são habilidades muito importantes. Elas englobam desde a capacitação profissional para a pessoa assumir as atividades do cargo desejado até as competências necessárias para ela se manter nele, adaptando-se ao time de colegas e conquistando uma boa posição dentro da empresa.

É por isso que o setor de RH deve estar sempre atento para avaliar se os candidatos realmente contam com hard e soft skills que agreguem à carreira deles e favoreçam as metas da organização. Para encontrar um profissional previamente validado com as hard skills mais requeridas do mercado, como Inglês, Raciocínio Lógico, Excel e Compreensão de Texto, você pode contar com o Busca Certa da Catho.

Portanto, não perca mais tempo. Comece a otimizar os seus processos seletivos com a Catho.

Na Catho você acelera. Economize seu tempo e encontre o profissional que você procura.

Seja o primeiro a comentar em “Hard skills vs soft skills: quais as diferenças?

Fale o que você pensa!

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Desenvolvido por: Bulki e WPTotal