Saiba como identificar soft skills em processo de recrutamento e seleção

Saiba como identificar soft skills em processo de recrutamento e seleção

Saber como identificar soft skills que fazem a diferença no dia a dia de trabalho é um ponto importante para os processos de Recrutamento e Seleção (R&S). Essas são características que colocam um profissional em destaque e permitem aprimorar ainda mais as atividades na rotina organizacional.

Junto das hard skills, é fundamental ter em mente que as soft skills compõem as competências que uma pessoa apresenta. Desse modo, fazem parte tanto do desenvolvimento pessoal quanto do profissional dos indivíduos.

Mas, afinal, o que fazer para identificar as soft skills nos processos de Recrutamento e Seleção? Acompanhe este artigo e confira ótimas dicas!

O que são soft skills?

Esse é o nome dado para habilidades comportamentais. Isso diz respeito às competências que uma pessoa desenvolveu ao longo da vida a partir do crescimento pessoal. Elas ajudam a ter um bom relacionamento no trabalho e a ter atitudes que favorecem o desenvolvimento da carreira.

Desse modo, as soft skills têm muita relação com certas capacidades psicológicas de um indivíduo. Desde saber lidar com situações desafiadoras a ter comportamentos empáticos por onde quer que passe, tudo isso envolve uma série de exercícios mentais e introspecção para refletir no comportamento. 

Qual é a importância das soft skills?

As soft skills são pontos importantes nos profissionais, pois dizem respeito ao relacionamento interpessoal. Afinal, todas elas refletem no comportamento que uma pessoa assume em determinado ambiente que, consequentemente, afeta os colegas de trabalho e o clima organizacional.

Sendo assim, as soft skills ajudam a identificar se uma pessoa tem uma postura positiva diante de diversas situações e, principalmente, se as decisões tomadas por ela são capazes de influenciar de maneira positiva o local em que trabalha.

Quais são as soft skills mais procuradas no mercado? 

Não é à toa que o mercado dá cada vez mais atenção às soft skills. Podem, até mesmo, fazer parte do currículo de diversos profissionais e ser o ponto de destaque em um processo seletivo.

Nesse contexto, vale a pena ressaltar as principais habilidades comportamentais apreciadas por recrutadores e líderes das mais variadas organizações do mercado de trabalho. Será que você está observando essas características nos seus processos de R&S?

Comunicação

Não importa quantas pessoas trabalhem em um mesmo lugar, a comunicação será a chave para manter a harmonia do ambiente e otimizar a troca de informações. Até mesmo um profissional autônomo precisa desenvolver bem essa habilidade para ter melhores oportunidades de carreira.

Ter uma boa comunicação no âmbito profissional permite:

  • buscar as melhores orientações para realizar um trabalho;
  • tirar dúvidas;
  • oferecer ajuda;
  • informar sobre as atividades realizadas;
  • criar laços positivos, entre vários outros benefícios.

Empatia

Ao lado da comunicação, a capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa também é bastante valorizada. Isso porque a empatia favorece as chances de trabalho em equipe, justamente, pelo profissional buscar entender o ponto de vista alheio.

Essa também é uma habilidade comportamental muito procurada em líderes, pois favorece a tolerância dentro de projetos e a compreensão das necessidades da equipe. Por esse motivo, ocupa um dos lugares mais privilegiados entre as soft skills pelas quais o mercado mais se interessa.

Liderança

Falando em líderes, a capacidade de conduzir uma equipe ou de se autoliderar também é esperada dos profissionais qualificados. Isso significa que ter um pensamento organizado, definir metas e administrar as demandas internas ou externas são fatores que colocam um perfil em destaque em um processo seletivo.

Todas essas habilidades auxiliam na construção da carreira e na produtividade, seja individual, seja em grupo. Desse modo, ainda que uma vaga não seja destinada a um cargo de liderança, essa soft skill ainda pode ser um diferencial.

Proatividade

A atenção às atividades que acontecem no ambiente e, especialmente, à postura ativa para tentar fazer aquilo que está ao seu alcance também são apreciadas pelo mercado. A proatividade facilita a rotina de trabalho e ajuda a prevenir erros de forma prática e eficiente.

Pensamento crítico

O pensamento crítico também entra na lista de soft skills que fazem a diferença no quadro de colaboradores de uma organização. Afinal, permite que os profissionais tenham a própria opinião e uma visão mais estratégica de diferentes situações.

Quando essa habilidade anda lado a lado da comunicação, essa soft skill gera ótimos insights e considerações importantes. Esses benefícios são ainda mais visíveis em ambientes mais flexíveis, que se preocupam com o que os profissionais pensam.

Resiliência

Independentemente da área de atuação, em algum momento, pode ser necessário passar por uma situação de alta pressão. Saber se adaptar, mesmo quando os planos não saem como o planejado, e resistir aos desafios são capacidades que colocam um profissional em destaque.

Além disso, a resiliência é importante, até mesmo, para a saúde mental no trabalho. Afinal, gera maior flexibilidade a imprevistos, o que ajuda na redução da ansiedade e contribui para a autorregulação emocional.

Como identificar soft skills durante o processo seletivo?

Muito se fala sobre como um profissional pode desenvolver uma ou mais soft skills. No entanto, é necessário abordar sobre como os recrutadores podem identificar habilidades essenciais com mais facilidade.

Afinal, a maioria delas se manifesta durante a rotina de trabalho, conforme aparecem as oportunidades. Sendo assim, o que fazer para observá-las antes mesmo da contratação? A boa notícia é que existem alguns passos importantes para isso. Veja!

Analise o currículo

Seja em uma carta de apresentação, seja nas informações presentes no currículo, sempre é possível identificar alguma habilidade comportamental do candidato.

Por exemplo, se a pessoa tem diversos cursos de aperfeiçoamento, isso mostra proatividade para se desenvolver. Ou, então, se existe experiência profissional com setores de relacionamento com o público, essa é uma pista de boas habilidades de conversação.

Observe o comportamento na entrevista

Ao ter contato direto com os candidatos, mesmo online, é possível identificar melhor as habilidades comportamentais. No entanto, tenha em mente que essa é uma situação em que as pessoas tendem a ficar mais nervosas. Por isso, podem não se apresentar com todo o potencial que têm.

Logo, é uma boa oportunidade para observar a resiliência. A comunicação também pode ser vista durante a dinâmica de uma entrevista, principalmente, ao analisar a clareza e a coerência das informações.

Vale a pena aplicar testes comportamentais. Um exemplo disso é contar uma história, pode ser uma fábula ou uma situação do cotidiano, e perguntar ao candidato qual seria a melhor atitude que um personagem poderia tomar diante de um momento desafiador, além dos porquês.

Proponha dinâmicas de grupo

Nada melhor que uma interação em grupo para analisar as habilidades interpessoais dos candidatos. Se o processo seletivo permitir esse tipo de dinâmica, presencial ou online, essa é mais uma oportunidade para os recrutadores observarem as soft skills mais procuradas para uma vaga.

Como você viu, as habilidades comportamentais fazem a diferença na forma que uma pessoa vai agir no ambiente de trabalho. Por esse motivo, saber como identificar soft skills relevantes para determinada vaga é um passo fundamental para formar um quadro de colaboradores compatível com a empresa.

Gostou das dicas? Então, assine o Momento Catho, nossa newsletter, para acompanhar ainda mais conteúdos relevantes ao setor de R&S!

Fale o que você pensa!

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Desenvolvido por: Bulki e WPTotal
Pop Up Image

Campanha A Catho resolve

X