Gestão participativa: saiba como aplicar na sua empresa

Gestão participativa: saiba como aplicar na sua empresa

Descubra como o modelo de gerenciamento traz uma série de inovações e benefícios aos negócios.

A gestão participativa é um modelo inovador de gerenciamento que valoriza a contribuição dos colaboradores nas decisões do negócio. Na prática, a equipe é estimulada a compartilhar suas ideias e experiências nos mais diversos processos administrativos e estratégicos.

Com isso, as companhias têm a oportunidade de criar ambientes mais humanizados, integrados e acolhedores, que motivam a autonomia dos funcionários. Isso porque o time se sente mais à vontade para fazer críticas, dar sugestões e propor soluções.

Quer entender o que é gestão participativa, quais são os seus principais benefícios e como aplicar na empresa? Acompanhe a seguir e fique por dentro do assunto!

O que é gestão participativa?

O modelo de gestão participativa é baseado na confiança, na colaboração e na liberdade dos profissionais. Nesse tipo de gerenciamento, pessoas de diferentes níveis hierárquicos trabalham em conjunto, sempre em prol dos mesmos objetivos e metas.

A ideia principal é que tanto as lideranças quanto os colaboradores participem das decisões e dos processos do negócio. O objetivo é criar uma gestão descentralizada e tirar a exclusividade de orientação de um pequeno grupo de gestores sobre as atividades administrativas e estratégicas.

Nesse contexto, o ambiente corporativo pode ser beneficiado de forma significativa, gerando mais autonomia, engajamento e dedicação. Ao contrário de outros tipos de gestão, esse modelo se destaca pela flexibilidade e pela facilidade em resolver problemas e desafios com mais facilidade.

Como funciona a gestão participativa?

O primeiro passo para adotar a gestão participativa é descentralizar a tomada de decisão na organização. Com isso, as responsabilidades não podem mais depender apenas de líderes, gestores e diretores, mas sim compartilhadas com os demais funcionários.

O diferencial é que a rotina participativa valoriza mais as opiniões e sugestões dos colaboradores, independentemente do seu nível hierárquico. Isso porque o funcionamento do modelo tem como base três pilares fundamentais. Veja a seguir:

  • comportamento: a empresa busca informar, orientar e conversar com a equipe, abandonando a liderança autoritária e impositiva, e estimulando a autonomia, a confiança e a cooperação;
  • estrutura: a companhia reduz o excesso de hierarquia, reavalia os padrões de cargos e reduz a concentração de poder, incentivando muito mais a troca de experiência entre os profissionais;
  • resultados: a organização promove a gestão descentralizada, permitindo que o fluxo de processos e projetos ocorra de forma mais ágil e seja totalmente orientado por dados.

Qual é o seu objetivo?

No dia a dia de uma empresa, a gestão participativa representa um importante instrumento democrático e integrador, que visa gerar mais harmonia e conexão entre a equipe, e também melhores resultados para o negócio. Quando os líderes exercitam a escuta ativa, os colaboradores são beneficiados de inúmeras formas.

O intuito é que os profissionais sintam-se parte de um grupo que trabalha em prol dos mesmos objetivos e metas. Por consequência, tornam-se mais motivados, criativos e produtivos, gerando cada vez mais resultados positivos para o negócio como um todo.

Glossário do RH: entenda o vocabulário completo dos Recursos Humanos

Além disso, é uma maneira eficiente de desenvolver soluções inovadoras e capazes de retornar lucro para a organização. Atualmente, cada vez mais candidatos buscam empregadores que se preocupam com uma gestão mais humanizada e participativa, portanto, o modelo é uma alternativa para atrair os melhores talentos do mercado.

Quais são os benefícios da gestão participativa?

Comentamos ao longo do conteúdo que a gestão participativa e cogestão traz uma série de benefícios aos empreendimentos de diferentes setores do mercado. Sem dúvidas, é uma oportunidade e tanto de adquirir diferencial e captar profissionais qualificados para compor o time de trabalho.

Veja, a seguir, outros benefícios que o modelo de gerenciamento oferece para as empresas!

Aumenta a produtividade

De acordo com as teorias das relações humanas, proporcionar bem-estar e liderança participativa é uma maneira de aumentar a motivação e, consequentemente, a produtividade da equipe. Além disso, um ambiente de trabalho saudável mantém as pessoas mais estimuladas a contribuir com os objetivos do negócio.

Reduz custos

Com a descentralização da hierarquia, a companhia pode otimizar recursos, produzir mais e gastar menos. Dessa maneira, o desempenho dos profissionais também aumenta, gerando menos despesas e custos ao negócio, que pode contar com um time engajado e muito mais dedicado.

Gera um ambiente de trabalho mais saudável

Sem dúvidas, os colaboradores também tornam-se mais satisfeitos em atuar em um ambiente de trabalho que valoriza as suas ideias e sugestões. Com isso, eles passam a ter mais bem-estar e confiança. Ou seja, o empreendimento pode reduzir o orçamento com turnover e demissões.

Contribui para uma comunicação mais integrada

Igualmente, a gestão participativa possibilita que a comunicação entre o time seja mais clara e fluida. Isso porque todos contam com espaço para dialogar sobre questões importantes do negócio. Em um modelo autoritário, por outro lado, os processos são engessados e ocorre menos abertura para a troca de experiências.

Como promover uma gestão participativa?

Para ter bons resultados, é fundamental que a empresa tenha um planejamento para implementar o modelo de gestão participativo. Para facilitar e ajudar na tarefa, separamos uma série de dicas com boas práticas a seguir:

  • incentivar a comunicação transparente e aberta entre a equipe;
  • delegar funcionários para realizar o acompanhamento de todos os processos;
  • apostar em inovações e soluções para otimizar as demandas e aumentar a produtividade;
  • informar os profissionais sobre os resultados positivos;
  • ter diálogos sobre gestão e estrutura da hierarquia;
  • criar um ambiente corporativo que permite a melhora do desempenho da equipe;
  • oferecer treinamentos de capacitação para todos os funcionários;
  • investir em formatos de liderança mais inclusivos;
  • promover novas e significativas experiências para o time.

É importante ter bastante planejamento para implementar o modelo participativo na empresa. Sem isso, pode ser realmente desafiador alcançar as expectativas e ter bons retornos com a mudança nas atividades de gerenciamento. De toda forma, lembre-se de que a mudança traz excelentes benefícios para a rotina do negócio.

Como vimos, a gestão participativa vem sendo cada vez mais adotada em diferentes setores do mercado, justamente por gerar vantagem competitiva e mais bem-estar aos funcionários. Atualmente, tais motivos devem ser uma prioridade para todo gestor que deseja melhorar a produtividade, os lucros e a imagem da marca.

Gostou do conteúdo? Aproveite a visita e leia outros conteúdos do nosso blog para manter-se informado sobre as novidades do mundo empresarial!

Na Catho você acelera. Economize seu tempo e encontre o profissional que você procura.

Fale o que você pensa!

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Desenvolvido por: Bulki e WPTotal