tendências de rh

Quais são as tendências de RH pós-pandemia?

Banner Black November

A pandemia causada pelo novo Coronavírus mudou as prioridades das empresas, trazendo à tona grandes tendências de RH. Home office sendo montados às pressas, equipes sendo divididas, medidas sanitárias e novas regras de circulação sendo criadas, além de outros ajustes feitos em processos internos — que envolvem, inclusive, o congelamento de novas contratações — fizeram com que a gestão do setor tivesse de se reinventar e se adaptar em tempo recorde.

Fato é que a pandemia fortaleceu ações que já eram previstas, como a otimização da comunicação por meio da tecnologia. Logo, para garantir o sucesso das operações da empresa, é preciso estar atento à nova realidade, a fim de manter a empresa competitiva no mercado.

Pensando nisso, separamos para você as tendências de RH para o pós-pandemia. Acompanhe!

Como a pandemia da COVID-19 impactou o mercado de trabalho?

O Brasil estava em busca de uma recuperação econômica antes da pandemia, mas o cenário incerto tornou o meio empresarial ainda mais desolador. Uma reação imediata foi o congelamento das contratações e, também, uma ampla reavaliação das empresas nos seus sistemas de gestão de pessoas e negócios, que deve perdurar de agora em diante.

Com o refinamento das prioridades das corporações, as organizações passam a ter de rever suas ações, tendo como nova estratégia um melhor gerenciamento, planejamento e foco no desempenho e na experiência dos funcionários, a fim de buscar melhores resultados — mesmo com os funcionários trabalhando com carga horária e salários reduzidos.

Quais são as tendências de RH pós-pandemia?

Empresas e profissionais precisam entender que as mudanças vieram para ficar e ditarão o mercado de trabalho daqui pra frente. Aqueles que conseguirem adaptar-se estarão à frente da concorrência. A seguir, separamos algumas das principais tendências de RH pós-pandemia. 

Trabalho Remoto / Home Office

O trabalho remoto ou home office foi o grande destaque da pandemia e deve continuar para grande parte dos profissionais. Isso porque essa modalidade de trabalho traz vantagens tanto para empresas, que têm seus custos com infraestrutura reduzidos — a exemplo do aluguel de salas, água, luz, telefone, recepcionistas e até cafezinho —, quanto para os profissionais, que passaram a ter mais tempo em casa com a família, além de terem reduzido o estresse proveniente dos grandes deslocamentos.

Diversas organizações compreenderam que podem otimizar suas operações com funcionários a distância, sem que isso traga prejuízos para as suas entregas. Assim, o trabalho remoto deixou de ser apenas mais uma discussão acerca de qualidade de vida e benefícios e passou a ser tratado como algo relacionado à gestão financeira de modelo de negócios. Assim, ao colocar na balança produtividade e custo x benefício, o trabalho remoto, com certeza, será uma das fortes tendências para o RH administrar no pós-pandemia.

Redução de carga horária

Com a pandemia, muitas empresas reduziram as jornadas de trabalho de seus colaboradores. E isso impactou diretamente na remuneração desses profissionais. Com menos horas trabalhadas e sem prejuízos nas entregas, alguns cargos devem ser revistos, ou mesmo a jornada de trabalho reformulada para a função.

Equipes híbridas

O cenário econômico incerto fez com que diversos profissionais perdessem seus empregos. Para garantir renda, muitas dessas pessoas passaram a trabalhar como freelancers, prestando serviços terceirizados. Isso é possível por meio de inovações tecnológicas, que diminuem as distâncias e reduzem custos.

Logo, as empresas têm a oportunidade de continuar contando com uma mão de obra especializada, mas contratada por demanda. Nesse cenário, existe uma forte tendência da formação de equipes híbridas nas empresas (contratados e terceirizados), em especial nos departamentos de comunicação e tecnologia. Essas áreas são cada vez mais almejadas por companhias e profissionais. Além disso, uma forte tendência é que os regimes de trabalho sejam mistos, ou seja, com o revezamento de dias no escritório com outros em casa.

Comunicação mais próxima

A tecnologia também ganhou grande destaque na pandemia, aproximando pessoas por meio de recursos de áudio e vídeo e facilitando a comunicação entre líderes, subordinados e equipe.

Diante de tantas incertezas, medos e anseios, as conversas sobre questões fora do ambiente laboral também foram mais suscitadas, com as pessoas compartilhando suas experiências e ansiedades nas reuniões virtuais. Isso evidencia que a tecnologia ganhou um grande caráter de humanização no trabalho, o que deve prevalecer no cenário pós-pandemia.

Mudanças nos indicadores

Com suas operações concentradas no online, é comum que muitas organizações precisem criar novas maneiras de comunicar suas metas, assim como as suas expectativas de forma mais clara. Isso significa delegar atividades de maneira coletiva, ao invés de ações individuais.

Essa promete ser uma grande tendência para o futuro do RH, onde as mensurações acontecerão por todo o time. Nesse cenário, a avaliação de desempenho, como os OKRs — em que os próprios colaboradores estabelecem as metas a serem alcançadas e interagem sobre elas com suas gerências —, também é uma forte tendência pós-pandemia.

Para tanto, o RH precisa ajustar os seus processos para plataformas digitais, onde encontrará muito mais facilidade para otimizar e mensurar esses indicadores, fator essencial para fazer com que a organização se mantenha competitiva no mercado. 

Experiência do funcionário mais humanizada

A quarentena imposta pelo novo coronavírus trouxe à tona, mais uma vez, a necessidade do RH humanizar cada vez mais as relações com o público interno da empresa. Isso porque a maneira como as companhias lidam com seus profissionais, além de impactar na marca empregadora, também reflete na reputação dela no mercado e diante de seus clientes.

Assim, é primordial que as companhias passem a enxergar a força de trabalho de maneira individual, observando que cada pessoa tem suas particularidades e necessita de apoio para poder compartilhar o seu máximo potencial.

Como vimos ao longo desta leitura, as tendências de RH pós-pandemia estão relacionadas ao uso massivo da tecnologia para diminuir distâncias e reduzir custos, mas também em uma relação mais humanizada entre empresas e profissionais. Para que a companhia consiga destacar-se no mercado, é obrigatório que gestores de RH estejam atentos a elas.

Se você gostou deste artigo sobre quais são as tendências de RH pós-pandemia, compartilhe-o nas suas redes sociais para que mais pessoas possam interagir com o tema!

Guia do RH para a saúde mental no ambiente corporativo

Assine a nossa newsletter e tenha em mãos as novidades mais relevantes sobre RH!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.