inteligência artificial no rh

Conheça 4 aplicações da inteligência artificial no RH

O uso da inteligência artificial no RH já suporta vários momentos da jornada dos colaboradores, especialmente quando o assunto é recrutamento e seleção. Neste post, a gente vai mostrar para você como a IA no RH pode ajudar a desenvolver processos mais estratégicos na empresa.

Aliás, a inteligência artificial tem sido amplamente utilizada pelas empresas e essa é uma das importantes tendências no RH. Portanto, a atenção a esse tema é fundamental para que os profissionais da área possam atuar como agentes estratégicos, inovadores e motivadores. Confira os detalhes!

1. People analytics

Você já ouviu falar que a essência da transformação digital está na mudança da forma como usamos os dados? Isso é dito porque a aplicação bem-sucedida das excelentes ferramentas tecnológicas depende de foco e muita informação.

Antes dos recursos tecnológicos disponíveis atualmente, nós sempre tomamos decisões baseadas em um número limitado de dados, o que tende a aumentar a margem de erros. É por isso que a inteligência artificial gera impactos tão significativos, quando bem utilizada.

Nossas ações se tornam mais estratégicas e efetivas, pois é cada vez mais fácil encontrar os gargalos que precisam de solução e classificá-los com critérios de prioridade. Na análise de pessoas, people analytics, não é diferente. Essa ferramenta permite coletar, organizar, tratar e comparar dados para gerar diagnósticos sobre aspectos diversos da equipe.

Isso ocorre por meio de aplicações que levantam e cruzam informações de várias fontes, buscando apresentar relatórios que ajudam a identificar detalhes como o nível de engajamento, satisfação e produtividade.

Assim, os executivos podem tomar decisões mais acertadas sobre ações, campanhas e promoções, buscando estimular e viabilizar resultados. O impacto dos investimentos em capacitações, por exemplo, pode ter o retorno avaliado de um ponto de vista mais abrangente, de um modo que facilite a identificação das iniciativas mais efetivas na estratégia da empresa.

Outros aspectos fundamentais são a segurança e o fato de que os dados usados na people analytics podem ser consultados em tempo real. Afinal, a inteligência artificial faz boa parte do trabalho sozinha e imediatamente.

transformação digital no RH

2. Chatbots

Os chatbots evoluíram muito, especialmente com a aplicação da inteligência artificial em seus sistemas. Algumas soluções funcionam com versões mais simples e algoritmos menos sofisticados. Elas são ótimas para garantir respostas simples e direcionar as pessoas para quem pode resolver sua necessidade imediata. 

Esse tipo de chatbot funciona como um recurso de pré-atendimento, com captação de dados informativos e a possibilidade de que o próprio usuário selecione o setor com o qual quer falar.

Contudo, as versões mais elaboradas praticamente não têm limites sobre o que podem fazer para prestar informações, fazer pesquisas e registrar solicitações diversas, por exemplo.

Eles podem ser programados de forma personalizada e humanizada, garantindo mais tempo livre para que a equipe do RH se concentre em tarefas mais estratégicas e nos atendimentos mais importantes.

Dúvidas comuns sobre os processos de seleção, por exemplo, podem ser respondidas pelos chatbots de inteligência artificial de um modo similar ao que faz um ser humano, o que ocorre como o uso de um recurso que os técnicos chamam linguagem natural.

As versões mais avançadas de IA aprendem conforme o diálogo acontece e podem ser “treinadas” para enviar respostas cada vez melhores, mas completas e específicas. Mas os bots não funcionam apenas como uma sessão conversacional de perguntas e respostas.

Eles podem enviar e receber arquivos, indicar a localização de formulários, a descrição de uma vaga e até fazer perguntas prévias, necessárias em determinado processo de seleção.

Como comentamos no início deste tópico, há muito que pode ser feito com esse tipo de ferramenta, mas costuma ser comum que, inicialmente, ela seja adotada em versões mais simples, para executar tarefas mais elementares, antes de se implantar soluções mais elaboradas. Por isso, a dica é começar quanto antes.

3. Uso de algoritmos no recrutamento e seleção

A IA no RH pode ser vista de diversos modos e ser aplicada conforme a maturidade digital da empresa, ou seja, organizações que estão começando a investir na digitalização não precisam começar pelas ações mais complexas, especialmente se elas exigirem grandes investimentos.

É assim no caso dos chatbots, que acabamos de citar, e no uso da IA no recrutamento e seleção que, aliás, são bastante acessíveis, independentemente do porte da empresa.

A inteligência artificial gera impactos significativos, mesmo em suas versões mais simples, porque afeta diretamente a produtividade. Processos de análise trabalhosos, que tomam muito tempo da equipe, podem ser completamente automatizados com o uso da IA. E todo mundo que trabalha com essas atividades sabe quanta carga de trabalho repetitivo elas geram.

Isso pode assustar quem não se aprofundou sobre o funcionamento desse tipo de solução, considerando que pode passar a visão de uma IA tomando decisões no lugar de pessoas. No entanto, esses sistemas são programados para aplicar critérios predeterminados, identificando, por exemplo, candidatos que preenchem requisitos determinados pelo recrutador e pela diretoria.

Basicamente, eles comparam os dados sobre os candidatos com os requisitos determinados e apresentam os mais alinhados à vaga. A decisão final sempre será de um ser humano, que pode contar com uma classificação livre de preconceitos, pois as máquinas não são influenciadas por eles.

4. Humanização dos processos de gestão de pessoas

Não importa se você pretende usar a IA, por exemplo, no recrutamento e seleção ou no atendimento dos contratados, o nível de humanização das interações pode surpreender muita gente, ao menos com as tecnologias mais modernas e dinâmicas. 

A inteligência artificial no RH gera impactos diretamente nas interações porque ela assume as mais repetitivas e simples. Com isso, os profissionais do setor podem se dedicar à execução de ações mais importantes e que demandam atenção especial.

Livre de responder sobre questões corriqueiras, que podem ser resolvidas com autonomia pelos colaboradores e candidatos, sobra mais tempo para dedicar às que criam maiores dificuldades para eles.

Além disso, os gargalos nos processos são mais facilmente monitorados e identificados, o que facilita o aprimoramento constante e a melhoria da eficiência do setor, o que também tem reflexo na humanização, que depende diretamente de um bom atendimento, da diminuição da burocracia e de maior agilidade.

Antes de a gente terminar, precisamos reforçar que a inteligência artificial no RH contribui para a redução de vieses e preconceitos nos processos de gestão de pessoas, pois os algoritmos podem ser projetados para identificar e evitar determinados padrões na linguagem, além de permitirem avaliações “às escuras”, ou seja, sem a identificação de quem está sendo avaliado em um recrutamento online, por exemplo.

Aliás, separamos para você uma postagem complementar relacionada ao tema. Confira nosso post sobre Recrutamento Inteligente e veja como a Catho pode te ajudar.

Assine a nossa newsletter e tenha em mãos as novidades mais relevantes sobre RH!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.