perfil do candidato

7 dicas para construir o perfil do candidato para vaga de emprego

Encontrar os talentos que melhor se encaixam nas vagas em aberto da sua organização é uma tarefa que só pode ser realizada com uma boa estratégia. Entre as técnicas de recrutamento que o RH pode usar, a criação de um perfil do candidato ideal é uma das mais promissoras para conseguir a satisfação dos gestores.

Neste artigo, vamos explicar a importância de montar esse arquétipo, juntamente de 7 dicas para construir um perfil coerente e eficaz para iniciar a busca de candidatos. Continue a leitura e confira.

O que é o perfil do candidato e por que criá-lo?

Fazer o perfil do candidato é idealizar o profissional perfeito para ocupar uma vaga. Usando essa prática, o RH recolhe informações diversificadas que vão contribuir para que o processo de recrutamento tenha os melhores resultados possíveis. O objetivo desse método é evitar que os recrutadores iniciem uma busca sem saber o que realmente procuram.

Quando existe uma falta de dados sobre o perfil ideal, dois problemas podem acontecer. Um deles é a recusa de todos os candidatos finais pelo gestor, aumentando o tempo do processo seletivo e causando maiores perdas de produtividade no time. Outro caso é uma contratação equivocada, que gera desgaste na empresa e pode levar à rotatividade em curto prazo.

Por isso, agir ainda no planejamento é o melhor a fazer para obter aprovação nas indicações de profissionais que o RH faz aos líderes. Com esse movimento, o setor ganha mais confiança e aprimora seu recrutamento, melhorando o índice de tempo médio de contratação — muito observado em um cenário em que o tempo é um recurso cada vez mais precioso.

Como fazer um perfil do candidato?

Agora que você já entende a relevância de elaborar o perfil do candidato, separamos 7 dicas para ajudar você a usar esse método. Para começar, é importante saber que, quanto mais detalhes o arquétipo tiver, mais recursos o RH vai ter para filtrar os profissionais disponíveis e, consequentemente, maiores serão as chances de encontrar a pessoa ideal. Veja a checklist que você pode fazer.

1. Analisar a cultura da empresa

Atualmente, o RH não pode deixar de considerar o fit cultural de um candidato em relação à empresa. Esse alinhamento contribui muito para a melhor integração do profissional à equipe, às normas e propósitos da organização.

Já que os valores do entrevistado serão analisados, é fundamental que, antes, os recrutadores tenham a cultura corporativa muito bem definida. Por isso, é interessante fazer uma lista de alguns tópicos relevantes que compõem a cultura interna para, assim, buscá-los na hora da seleção.

2. Conversar com o gestor da área

Mais uma dica é conversar com o gestor da equipe que tem uma vaga em aberto antes de traçar o perfil do candidato ou mesmo divulgar a oportunidade. É importante lembrar que o líder conhece bem as qualidades que um profissional deve ter para ocupar um determinado cargo.

A falta de comunicação com os gestores pode gerar diversos desentendimentos posteriores que acabam gerando retrabalho para o setor de Recursos Humanos. É possível evitar isso ao alinhar o arquétipo feito com a idealização da liderança.

3. Conferir os padrões existentes na equipe

Um ótimo profissional pode ter um desempenho abaixo do esperado se não estiver em uma equipe que caminhe com harmonia. Por isso, entender a dinâmica de um time pode ser mais uma pista para o RH na hora de montar um perfil de candidato.

Exemplificando, uma equipe com muitas personalidades de liderança pode acabar se tornando conflituosa, assim, contratar alguém com perfil mais analítico pode equilibrar a equação. Outra questão que deve ser pensada é em relação à diversidade, afinal, quanto mais diverso um time de talentos for, mais criativo ele será ao reunir todas as diferentes bagagens dos colaboradores.

4. Avaliar as habilidades profissionais necessárias

Algo já tradicional na hora de montar um perfil de candidato é observar quais são as habilidades necessárias para o cargo que ele vai ocupar. Trata-se dos conhecimentos técnicos de uma área, formações acadêmicas, certificações e idiomas.

Nesse momento, é importante reconhecer quais habilidades de fato são obrigatórias para ocupar uma função e quais são diferenciais. Isso porque muitos profissionais extremamente competentes e promissores podem acabar sendo eliminados por requisitos que não são realmente fundamentais para a atuação.

5. Identificar as competências que o cargo exige

Um aspecto que pode ser determinante no recrutamento são as soft skills que cada profissional apresenta na seleção. Avaliar competências dos candidatos passou a ser obrigatório já que elas são essenciais na hora de compor um ambiente corporativo saudável e harmônico.

As competências são características emocionais e de sociabilidade que tornam um indivíduo mais apto para cultivar relacionamentos interpessoais, se comunicar com eficiência e alcançar seus objetivos no trabalho.

Certos cargos vão exigir skills específicas, como liderança ou capacidade analítica. Já de forma geral, competências como inteligência emocional, empatia e pensamento crítico são sempre bem-vindas na organização.

6. Saber quais diferenciais chamam a atenção

Para fazer um recrutamento acertado em meio às centenas de candidaturas, os filtros específicos serão os grandes aliados do RH que usa a tecnologia. Mas, para usá-los corretamente, é necessário identificar quais são os diferenciais que mais podem chamar atenção dos gestores.

Um idioma a mais para lidar com clientes do exterior, domínio de um sistema ou programa específico, ou mesmo uma competência que faça o candidato ter maior potencial de crescimento na empresa são alguns exemplos de diferenciais que podem ser agregados ao perfil ideal.

7. Conferir a compatibilidade entre o que a empresa pede e oferece

Depois de montar o perfil do candidato, o RH precisa compreender se ele está compatível com o que a organização está oferecendo em termos de salário e benefícios. É importante saber quanto vale o perfil ideal para ocupar o cargo e quanto a gestão está disposta a dar para atrair esse profissional e contratá-lo.

O que é o Recrutamento Perfeito?

Analisar todos esses aspectos e montar o perfil de candidato é essencial, no entanto, usar a ferramenta certa é o que vai possibilitar ao RH realmente encontrar os profissionais compatíveis com essa idealização.

A solução Recrutamento Perfeito da Catho permite que seu processo de seleção de talentos seja otimizado, encontrando os melhores candidatos por meio de diversos filtros avançados. Além disso, é possível procurar colaboradores que morem mais perto da organização e até mesmo convidar profissionais que já mostraram interesse pela empresa.

Esperamos que este conteúdo tenha ajudado você a perceber como montar um perfil de candidato pode transformar o sucesso do seu recrutamento. Esse tipo de planejamento mostra que seu RH é estratégico e está buscando os melhores resultados.

Para saber mais sobre a Catho pode ajudar a busca por talentos da sua organização, entre em contato conosco e descubra tudo sobre o Recrutamento Perfeito. 

Prospecção ativa de candidatosPowered by Rock Convert

Assine a nossa newsletter e tenha em mãos as novidades mais relevantes sobre RH!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.