Erros comuns de quem começa a empreender

Histórias de empreendedores que falharam e fecharam as portas do seu negócio antes mesmo de alcançarem qualquer tipo de êxito são mais comuns do que se imagina. Mas se é ‘errando que se aprende’, por que não aprender analisando as falhas mais recorrentes de quem já tentou antes para, aí sim, dar este importante passo?

Apesar da crise econômica, o sucesso de novos empreendimentos nos últimos meses trouxe uma onda de otimismo para o mercado, que vem tentando recuperar o fôlego. Como as oportunidades de sucesso não se esgotam nem em meio às turbulências da crise, o que os pequenos e médios empreendedores podem fazer para aumentar os lucros e crescer num ritmo satisfatório, com menos contratempos possíveis?

“Na ânsia de abrir o próprio negócio, o empreendedor de primeira viagem pode cometer inúmeros deslizes, entre eles não se preparar financeiramente para o que está por vir”, comenta Luciano Lugli, sócio fundador do Grupo E-Lar, dono da marca Especialista do Lar.

Confira a seguir os principais descuidos de quem vai começar ou já está empreendendo, na visão do especialista.

Não se preparar financeiramente

É um erro muito comum de quem começa a pensar em empreender. Antes de dar o primeiro passo, é necessário fazer os estudos financeiros para não ter surpresas após o início das atividades. Ter conhecimento sobre os recursos financeiros necessários para se ter um negócio é, sem sombra de dúvidas, um caminho para o sucesso.

Achar que o negócio está garantido

As pessoas pecam na abertura de uma empresa por achar que o sucesso virá mais cedo ou mais tarde, independente do esforço empregado. Porém, a verdade é que o sucesso depende de muitos fatores, sobretudo, da busca por informações, dedicação e planejamento. Quando se inicia um negócio, nem sempre o retorno financeiro será rápido. Portanto, antes de começar planeje-se: faça uma reserva financeira para que possa sobreviver até o novo projeto começar a dar resultados.

Dedicar pouco tempo ao negócio

Abrir uma empresa não significa trabalhar menos ou pouco, ao contrário: significa ser dono de um empreendimento que precisa de dedicação para dar certo. Designar as responsabilidades para um terceiro ou alguém com pouco entrosamento ou vínculo pode trazer consequências negativas ao longo do tempo. Alguns empreendedores buscam tranquilidade e qualidade de vida na decisão de empreender, mas isso é um erro.

Não investir em marketing e comunicação

A comunicação ‘boca a boca’ é, sem dúvida, eficaz. Bucar por parceiros e profissionais especializados na área é uma boa ideia para, aos poucos, difundir e consolidar a marca e torná-la conhecida no mercado. No entanto, só isso não basta e algumas vezes é preciso também investir em ações de marketing, mesmo que apenas no meio digital. Para isso, é imprescindível compreender as necessidades de seus clientes, pois nenhuma ação ou campanha de marketing terá sucesso se não for condizente com as necessidades e preferências do consumidor.

Assine a nossa newsletter e tenha em mãos as novidades mais relevantes sobre RH!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.