soft skills

Soft skills: como avaliar e desenvolver nos colaboradores

O termo soft skills definitivamente entrou no vocabulário do mundo corporativo. A popularização do conceito marca uma transformação do mercado, que passa a valorizar mais as competências socioemocionais nos profissionais. Que tal entender mais a fundo o que está por trás dessa ideia e como ela se torna prática na rotina da empresa e do recrutamento?

Neste texto, queremos mostrar o real impacto que uma boa análise de soft skills pode ter na performance das equipes. Além disso, vamos compartilhar com você em quais dessas habilidades seu RH precisa ficar de olho.

Por fim, você ainda vai descobrir alguns caminhos para desenvolver skills comportamentais nos talentos da sua organização. Continue a leitura e confira o que preparamos.

O que são soft skills e qual a importância na empresa?

Para começar, podemos definir soft skills como competências atreladas à personalidade de um indivíduo. Em geral, elas fazem parte de uma bagagem adquirida ao longo da vida e influenciada pela criação, pelas experiências vividas, pelos conhecimentos adquiridos e pelos ideais que são seguidos.

Apesar de pensarmos essas habilidades como naturais de cada pessoa, elas podem sim ser criadas e desenvolvidas ao longo da vida. São competências de ordem comportamental, relacional e emocional. Ou seja, elas interferem diretamente na forma como o profissional vai agir, perceber situações, lidar com as próprias emoções e com as emoções dos outros.

Você com certeza já notou como esses aspectos fazem diferença no dia a dia do ambiente de trabalho, não é mesmo? Quantas vezes vivemos situações de conflito na empresa que são causadas por ruídos de comunicação, falta de inteligência emocional ou ausência de empatia?

É por isso mesmo que as soft skills estão na mira de recrutadores e gestores de todo o mundo. Uma pesquisa do LinkedIn com mais de 660 milhões de profissionais apontou que as 5 competências mais requisitadas para 2020 são:

  • criatividade;
  • persuasão;
  • colaboração;
  • adaptabilidade;
  • inteligência emocional.

Como avaliar soft skills nos profissionais?

Muitos recrutadores consideram um verdadeiro desafio avaliar soft skills e mensurar o desenvolvimento delas nos candidatos. Isso é absolutamente normal, afinal, trata-se de competências que estão em um campo abstrato, não são palpáveis como as habilidades técnicas.

Mas existem alguns caminhos para realizar essa avaliação de forma eficiente. É importante lembrar que essa análise precisa ser feita ainda durante o recrutamento. Pode começar já na triagem de currículos, já que os filtros de busca podem ser direcionados para essas particularidades.

Quando isso acontece, o RH consegue mapear os candidatos que não apenas preenchem os requisitos técnicos da vaga, mas que também possuem qualidades que farão a diferença na performance e no relacionamento com o resto do time. As contratações, é claro, se tornam muito mais assertivas.

Durante o processo seletivo, as soft skills podem ser avaliadas em dois momentos. Os testes de proficiência comportamentais costumam ser um meio interessante e rápido. Esse tipo de avaliação pode até mesmo ser realizada virtualmente por meio de questionários.

As entrevistas também são um ótimo momento para investigar se os candidatos possuem as competências que a empresa está procurando. Fazer as perguntas certas pode mostrar bastante sobre o comportamento do indivíduo em experiências passadas. 

Além das soft skills que já citamos acima, algumas competências que são fundamentais para o desempenho profissional nas organizações modernas são:

  • comunicação interpessoal;
  • flexibilidade;
  • empatia;
  • liderança;
  • organização.

A principal chave para contratações mais acertadas e para times de talentos mais produtivos e engajados é a união das competências comportamentais com as habilidades técnicas. Conseguir isso é “o melhor de dois mundos” e por isso se tornou o alvo da gestão de pessoas.

Como ajudar os colaboradores a desenvolver as soft skills?

Pensar que soft skills não podem ser adquiridas ou melhoradas ao longo da carreira é um equívoco que o RH não pode cometer. Ao pensar dessa forma, bons colaboradores podem acabar sendo descartados por não possuírem uma competência que poderia ser trabalhada.

Por isso, um RH estratégico deve estar sempre observando formas para ajudar seus talentos a desenvolver essas habilidades que citamos e ainda outras que possam ser úteis na rotina corporativa. Veja algumas iniciativas que você pode implementar para colaborar nesse sentido.

Trazer mais entendimento sobre soft skills

Um dos primeiros passos importantes para desenvolver competências socioemocionais nos colaboradores é mostrar a todos que elas existem e quais são as de interesse da empresa. A verdade é que alguns profissionais podem não conhecer o tema tão profundamente e, por isso mesmo, não se interessam pelo desenvolvimento dessa área.

Falar sobre isso em reuniões e palestras e mostrar como essas habilidades podem ser úteis no dia a dia e no crescimento profissional é algo que certamente vai mudar a postura dos talentos sobre o assunto.

Fomentar o autoconhecimento

O autoconhecimento está muito atrelado ao desenvolvimento de soft skills. Muitas pessoas podem descobrir habilidades que não sabiam possuir ao fazer um autoexame e entender melhor sobre suas características pessoais.

Esse conhecimento de si também é importante para conseguir administrar as próprias emoções e criar inteligência emocional — ela está ligada a diversas competências. Profissionais que entendem os pontos positivos em sua personalidade podem ainda trabalhar para realçá-los e usá-los a seu próprio favor durante a performance na empresa.

Oferecer cursos voltados para competências

Uma das características do RH moderno é se preocupar com o desenvolvimento dos colaboradores. Por isso, é cada vez mais comum a implementação de um programa de educação corporativa. Por meio dele você também pode ajudar os profissionais a criarem e trabalharem suas soft skills.

Cursos de liderança, por exemplo, estão entre os mais procurados, já que essa é uma habilidade extremamente requisitada nas empresas. Mas também é possível oferecer cursos na área de comunicação interpessoal, oratória, team building, inteligência emocional e outros.

Esperamos que este conteúdo ajude seu RH a avaliar e desenvolver soft skills em candidatos e colaboradores da organização. É importante lembrar que a necessidade dessas competências socioemocionais caminha junto do fit cultural, já que interfere diretamente nos valores e comportamentos de cada profissional.

Para complementar sua leitura, separamos mais um artigo que fala da importância de observar determinadas habilidades profissionais no processo seletivo. Não deixe de ler!

Assine a nossa newsletter e tenha em mãos as novidades mais relevantes sobre RH!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.